As reflexões de Júlia Barata após a maternidade.

Foi em 2017 que a Júlia Barata decidiu partilhar com os leitores as suas desventuras na Gravidez, com um livro de banda desenhada que teve direito a edição argentina pela portenha Musaraña e a edição portuguesa pela lisboeta Tigre de Papel. Dois anos mais tarde, em setembro de 2019, a Tigre de Papel edita Quotidiano de Luxo, onde a protagonista reflecte sobre o que significa ser mãe, esposa, mãe, mulher, mãe, profissional e… mãe. Na verdade, com o surgimento da descendência, é necessário encontrar num novo equilíbrio na família, com novos problemas e questões que vêm alterar a dinâmica do quotidiano.

A autora já tinha autoeditado em 2016 uma primeira versão desta obra em Buenos Aires com o título Cotidiano de Lujo. Nesta nova edição, além da mesma se encontrar na língua portuguesa, não só se respeita o colorido original como mais de metade do seu conteúdo é inédito.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Depois da edição de Gravidez, em 2017, a Tigre de Papel edita agora Quotidiano de Luxo, mais uma novela gráfica autobiográfica de Júlia Barata. O livro inclui um posfácio de Marta Lança.
«As questões da Júlia Barata — nesta seleção de desenhos entre os anos 2016 e 2019 — fazem eco noutros contextos e aspetos da nossa vida. O difícil domínio do tempo: se está pouco ou muito tempo com o filho, os turnos e divisão de tarefas entre casal, a nostalgia de como era a vida antes do filho, a alegria absoluta de uma criança a crescer e no seu veloz crescimento percebermos as suas mudanças (perceções e interações). A clássica queixa que — devorados por trabalhos, deveres e expectativas sociais — tantas vezes gritámos: “não tenho tempo para mim!”. De como os dias se iniciam serenos e num ápice ficam pejados de pequenos conflitos. A profissional e a mãe metamorfoseando-se em bicho raro, os projetos que não chegam a bom porto, lidar com a idade e a nossa imagem, física e social, as contradições entre opiniões, consumos e estilos de vida. Como ser mãe, ouvir as nossas estúpidas chantagens, mas também as saídas certeiras e conversas de proximidade com o filho: “Eu não sou mamã o tempo todo!, — Não? — Não, tu não gostas de não ser filho às vezes? — Sim.”» – Do posfácio de Marta Lança

Júlia Barata (aka Júlia Tovar) nasceu em 1981, em Coimbra. Viveu nómada entre Maputo, Porto, Lisboa, Roterdão, Barcelona e em 2013 emigra para Buenos Aires, onde reside atualmente. Estudou arquitetura e exerce a profissão, dedicando-se paralelamente à banda desenhada e ilustração. É a autora de Gravidez (Musaraña Editora, Buenos Aires / Tigre de Papel, Lisboa – 2017), 2 road comics (autoedição, Buenos Aires – 2017), Cotidiano de lujo2 historias de amorHistorias del tren (3 autoedições, Buenos Aires – 2016), El azar no es mala suerte (com Alejandro Levacov, Musaraña Editora, Buenos Aires – 2015) e As aventuras pós-modernas de Cecília a peixa (autoedição, Barcelona – 2009 / Lisboa – 2010). Participou nas obras El volcán (Editorial Municipal de Rosario, Musaraña Editora, Buenos Aires – 2017) e Zona de Desconforto (Chili Com Carne, Lisboa – 2014).

Quotidiano de Luxo
Júlia Barata
Editora: Tigre de Papel
Páginas: 112
Encadernação: capa mole
PVP: 13,00€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.