Painel de personagens de BD em azulejaria no Parque das Nações, Lisboa (janeiro de 2020)
O primeiro mês editorial de banda desenhada em Portugal no ano 2020.

Janeiro tem por hábito ser um mês tímido no que toca à quantidade de publicações nacionais de banda desenhada, o que não significa que não seja um mês a seguir anualmente com atenção.

Em 2020, tal não foi diferente, com várias das editoras que se dedicam (quase) exclusivamente à banda desenhada a não editar BD, ausência esta também manifestada por editores generalistas (de maiores ou menores dimensões) que com alguma frequência também o realizam.

De qualquer modo, em janeiro de 2020 identificou-se a edição de 21 publicações de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas). Sem dúvida que, para este número ser atingido, muito contribuíram as séries distribuídas em janeiro nos pontos de venda de periódicos. No entanto, somente 2 dessas edições têm ou terão como exclusividade este canal de distribuição. Todos as demais, têm concomitantemente ou terão posteriormente distribuição em livrarias.

Por outro lado, curiosamente, em janeiro não foram identificadas publicações com distribuição alternativa, isto é, publicações de BD que não são distribuídas no canal livreiro nem em pontos de venda de periódicos Conclui-se então que 100% das publicações identificadas teve distribuição para o grande público.

Em resumo, quanto ao canal de distribuição:

  • Canal livreiro: 19 (alguns dos quais, só foram ainda distribuídos em bancas ou em eventos)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 2
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 0

Comparativamente com os anos anteriores, verificou-se em janeiro:

  • 2019: 14 publicações (8 no canal livreiro, 0 nas bancas com exclusividade e 6 com distribuição alternativa);
  • 2018: 20 publicações (8 no canal livreiro, 7 nas bancas com exclusividade e 5 com distribuição alternativa)
  • 2017: 23 publicações (4 no canal livreiro, 11 nas bancas com exclusividade e 8 com distribuição alternativa)

Na verdade, apesar de qualquer estatística com poucos números não ter grande significado, há dois factores que, sem dúvida, contribuem com um peso considerável para a existência de um maior ou menor número de publicações distribuídas em cada um dos meses – por um lado, a publicação ou não de séries de BD exclusivas dos pontos de vendas de periódicos, seja em livro seja em revista; por outro lado, a publicação ou não de séries com periodicidade semanal em conjunto com periódicos. Apesar de tal ser evidente na comparação entre janeiro de 2017 e 2019, reforcem-se estes dados com outros mais antigos:

  • 2015: 22 publicações (10 no canal livreiro, 9 nas bancas com exclusividade e 3 com distribuição alternativa)
  • 2014: 25 publicações (11 no canal livreiro, 12 nas bancas com exclusividade e 2 com distribuição alternativa)

Reressando ao mês de janeiro de 2020, eis o número de publicações identificadas, segundo o formato:

  • Jornais: 0
  • Livros: 21
  • Revistas: 0
  • Outros (brochuras, etc): 0

Dos 21 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 10
  • Capa mole: 11

E a distribuição por cor de impressão:

  • Cores: 16
  • Preto: 5

Das 21 publicações de janeiro, o país de origem tem a seguinte distribuição:

  • EUA: 6
  • França: 10
  • Portugal: 2
  • Japão: 3

A nível das 19 publicações de material traduzido, eis as editoras originais:

  • Andrews McMeel: 1
  • Casterman: 1
  • Dargaud: 5
  • Les Éditions Albert René: 3
  • Glénat: 1
  • IDW: 2
  • Image: 1
  • Marvel: 2
  • Shueisha: 3

Quanto ao quinquénio da edição original, as 21 publicações distribuem-se do seguinte modo:

  • 1965 – 1969: 1
  • 1995 – 1999: 3
  • 2000 – 2004: 3
  • 2005 – 2009: 2
  • 2010 – 2014: 1
  • 2015 – 2019: 8
  • 2020: 3

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 21 publicações verifica-se a existência de:

  • Inéditos mundiais: 2
  • Inéditos em Portugal: 11
  • Reedições: 8

O total das reedições corresponde, portanto, a 38% das publicações de janeiro (apesar de estarmos novamente a falar de pequenos números, no ano de 2019, as reedições corresponderam a 16% das obras editadas).

Eis as editoras das publicações identificadas:

  • Ala dos Livros: 1
  • Arte de Autor: 1
  • Asa: 6
  • Chili Com Carne: 1
  • Devir: 3
  • FA: 1
  • G. Floy: 2
  • Nuvem de Letras: 3
  • Planeta: 1
  • Salvat: 2

Verifica-se então que, em janeiro, a Asa revelou-se o líder no segmento do mercado, com um total de 6 lançamentos, estatuto que atinge graças à parceria com o jornal Público. Segue-se a Devir e a Nuvem de Letras, ambas com 3 edições. Por fim, destaca-se ainda a G. Floy e a Salvat, com 2 publicações cada.

Eis as respetivas capas:

Para esta análise não são contempladas reimpressões. Também não fazem parte desta análise as revistas e livros importados em língua francesa e na norma brasileira da língua portuguesa, distribuídos nos pontos de venda de periódicos.

Quanto à forma como o nosso Observatório contabiliza as edições mensais, tem em conta a primeira forma de comercialização da obra, independentemente do canal utilizado. Deste modo, edições comercializadas através do site ou das redes sociais de uma editora, bem como num dado evento, num determinado mês, são contabilizadas como publicadas nesse mês, independentemente do mês em que venha a ocorrer a eventual distribuição generalizada nos pontos de venda de periódicos ou livrarias.

Por fim, uma breve nota quanto às edições sobre BD. Em janeiro de 2020, não se identificou nenhuma publicação deste género.

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Registe-se que, apesar do material nacional corresponder com alguma frequência ao 1.º lugar de publicações mensais distribuídas por país, tal tem como grande contributo as publicações com distribuição alternativa às bancas e livrarias (em 2019, somente 36% das publicações de material nacional identificadas teve distribuição para o grande público). Num mês em que não se identificaram publicações com distribuição alternativa, seria expectável encontrar-se Portugal numa posição modesta enquanto país de origem do material publicado, como se verificou (na realidade encontra-se em último lugar, entre os 4 países identificados em janeiro).

Deste modo, só existem 2 lançamentos de banda desenhada portuguesa em janeiro. Por um lado, a Chili Com Carne edita a obra Parícutin de Gonçalo Duarte, enquanto a chancela FA de Flávio C. Almeida autoedita e distribui no canal livreiro o seu Tigres.

Como curiosidade, registe-se que a Chili Com Carne realizou 2 outros lançamentos em janeiro. No CD de estreia da banda musical Krypto, eye18, coeditado com a Lovers & Lollypops, existe inclusivamente uma BD da autoria de Rui Moura, inspirada no som do grupo. Quanto à autora de banda desenhada Amanda Baeza, coeditou em conjunto com a Chili Com Carne e a editora letã Kuš!, It’s You, um baralho de cartas de oráculo ilustradas.

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Em janeiro, quatro editoras iniciaram 4 séries. A Ala dos Livros publicou o primeiro volume da Trilogia do Tríscelo do galego Miguelanxo Prado. Por seu turno, a G. Floy iniciou a reedição de Novos X-Men/New X-Men, da autoria de Grant Morrison et al. Quanto à Nuvem de Letras, publicou as duas primeiras bandas desenhadas da série O Despertar das Tartarugas Ninja dos norte-americanos Matthew K. Manning e Chad Thomas. Por fim, a Salvat publicou os 2 primeiros álbums da sua reedição de Astérix na dita Coleção Integral.

Para além destes 6 lançamentos, cinco editoras prosseguiram as suas séries: a Asa com 5 volumes de Blueberry; a Devir com Blue Exorcist, My Hero Academia e Naruto; a G. Floy com a prequela de O Legado de Júpiter; a Nuvem de Letras com Bia e o Unicórnio; e a Planeta com Star Wars.

Por fim, a Arte de Autor publicou a antologia Quimeras Fascinantes de Milo Manara.


nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2020.
imagem: Painel de personagens de BD em azulejaria no Parque das Nações, Lisboa (© Bandas Desenhadas, janeiro de 2020)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.