A famosa série de Enid Blyton em banda desenhada.

Os romances infantojuvenis da série Os Cinco (The “Fives” Books, no original, rebatizada The Famous Five em 1951) da britânica Enid Blyton foram extremamente populares na Europa e Portugal não fugiu à regra. Graças ao sucesso da série, Blyton, que teria planeado escrever inicialmente cerca de 6 ou 8 livros para esta série, prolongou não só a mesma para um conjunto de 21 volumes, como escreveu muitas outras séries num tom similar, em que um grupo de crianças desvenda crimes.

Os livros de Os Cinco foram publicados com uma periodicidade de um por ano entre 1942 e 1963 (com uma única exceção em 1959, ano em que não foi publicado nenhum livro da série).

Em França, a série prosseguiria com mais 24 romances, escritos por Claude Voilier entre 1971 e 1985. Estes livros viriam a ser traduzidos para diferentes países europeus, incluindo o Reino Unido. Em Portugal, a Editorial Notícias batizou-os de Novas Aventuras dos Cinco. Estes volumes tinham uma particularidade interessante. Ao invés de apresentarem algumas ilustrações ao longo do texto, como a série original, os volumes apresentavam ora uma página em prosa ora outra em banda desenhada. Os autores destas páginas de BD foram Jean Sidobre (vol. 1 a 13), Claude Pascal (vol 14 a 17, 19 e 20), Claude Jardin (vol. 18), Buci (vol. 21) e Annie-Claude Martin (vol. 22 e 24).

Outras romances têm vindo a ser escritos em diversos países (sendo recolhidos aqueles que não respeitam os direitos autorais). Entre as obras mais recentes, encontra-se o romance Le Club, da autoria de Michel Pagel, onde Os Cinco vivem a sua última aventura, 30 anos mais velhos. No que toca à sátira, o destaque vai para a série Enid Blyton for Grown Ups de Bruno Vincent, onde o autor transformou os personagens em adultos de modo a fazer uma crítica à sociedade atual, com títulos como Five on Brexit Island, Five Escape the Brexit Island, Five Give up the Booze, Five Go Gluten Free, Five Lose Dad in the Garden Centre e Five Go Parenting, entre outros.

Desde muito cedo, a série de Blyton começou a ser transposta para outros meios. A nível do cinema foram produzidos 2 filmes britânicos em 1957 e 1964, 2 filmes dinamarqueses em 1969 e 1970 e 4 filmes alemães entre 2012 e 2015.

Quanto a séries televisivas, as crianças portuguesas de então certamente se recordam da série homónima britânica produzida entre 1978 e 1979, na qual os romances de Blyton foram transpostos para 26 episódios. No entanto, existiram outras séries, as quais têm sido transmitidas internacionalmente. Entre 1995 e 1997 foi exibida no Reino Unido uma nova série com direito a 2 temporadas e um total de 26 episódios. E, em 2008, foi exibida uma produção de animação franco-britânica intitulada Famous 5: On the Case com 26 episódios, apesar de ter pouca relação com os romances de Blyton.

Outras transposições de Os Cinco ocorreram para audiolivros, peças de teatro, musicais, livros-jogos e videojogos. No entanto, ir-nos-emos, obviamente, focar na banda desenhada.

Curiosamente, a primeira adaptação de que temos conhecimento foi desenhada pelo português Fernando Bento para a revista Cavaleiro Andante #465, em 26 de novembro de 1960, intitulada Os 5 e a Ilha do Tesouro, com direito a 12 páginas.

No Reino Unido, a antologia semanal Look-In, uma revista júnior da TV Times, baseando-se na série televisiva, transpôs para a BD as histórias de Os Cinco, com arte de Mike Noble (Keith Watson substituiu-o em 3 partes de uma história nas suas férias). Em Portugal, esta série viria a ser publicada pela Editorial Notícias em revista própria sob o título Famosos Cinco, em 1980.

Paralelamente, a editora Purnell publicou entre 1977 e 1985 (com datas na capa entre 1978 e 1986) a série Famous Five Annual, onde o se misturava o texto e banda desenhada, com artistas como Leslie Branton e Michael Strand. Em 1996 (com data na capa de 1997) foi publicado um único anual adicional como tie-in para a mais recente série televisiva de então.

Outra das séries de banda desenhada de Os Cinco foi a francesa Le Club des Cinq, com argumento de Serge Rosenzweig e ilustrações de Bernard Dufossé (primeiros 4 volumes) e Carlo Marcello (últimos dois), editada pela Hachette entre 1982 e 1986. Dos 6 livros, os primeiros 5 eram adaptações dos romances de Claude Voilier (apesar de existirem diferenças nos seus títulos), com exceção do último volume, que continha um argumento original. Em Portugal, esta série de 6 livros foi publicada pela Editorial Notícias entre 1983 e 1988, sob o nome Os Cinco em Banda Desenhada. Existem edições com encadernação em capa dura e capa mole. Posteriormente, seria parcialmente republicada no suplemento BDN do Diário de Notícias.

Regressando ao Reino Unido, em 1985, a Egmont iniciou uma nova adaptação de Os Cinco para banda desenhada, intitulada Enid Blyton’s Adventure Magazine. Os argumento eram de Gail Renard (que também produziu a série televisiva dos finais dos anos 70) e Les Lilley. Com um total de 17 números, publicados entre 1985 e 1986, o número piloto foi desenhado por Barrie Mitchell (tendo também ilustrado o #5). Seguiram-se John Ridgway (#1, 6, 10, 15), Bert Hill (#2, 7, 12), Phil Gascoine (#3, 8, 13), Mike Dorey (#4, 9, 14) e John Richardson (#11, 16).

Em 1997, a Egmont lançaria uma nova revista de BD, Enid Blyton Mystery and Suspense, onde figuravam não somente histórias de Os Cinco mas também de outra série de sucesso de Blyton, Os Sete. Ao longo dos seus 10 números de existência contou com a arte de, entre outros, Charlie Adlard e Mario Capaldi.

Regressando a França, em 2017, a Hachette iniciaria uma nova série de banda desenhada dedicada a Os Cinco, desta feita dedicada a adaptar os romances originais de Blyton. Intitulada novamente Le Club des Cinq, conta com argumento do francês Nataël e desenhos do seu filho Béja.

Recorde-se que este duo familiar viu em Portugal serem editados pela Meribérica, em 1993, o primeiro álbum (dividido em 2 livros) da série As Garras do Destino (Les Griffes du Hasard, no original).

Quanto à série Os Cinco, foram editados até ao momento 4 álbuns em França, o último dos quais em novembro de 2019, estando a ser seguida cronologicamente a série original de Blyton.

A partir de dia 25 de fevereiro, chegam às livrarias nacionais os primeiros 2 volumes desta série de Nataël e Béja, Os Cinco e a Ilha do Tesouro e Os Cinco e a Passagem Secreta, cabendo a edição à Oficina do Livro.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

OS CINCO E A ILHA DO TESOURO
Pela primeira vez, o Júlio, o David e a Ana vão passar férias a casa da tia Clara, onde conhecem a prima Zé, uma verdadeira maria-rapaz. Acompanhados pelo fiel cão Tim, partem à descoberta de um tesouro indicado num velho mapa que encontraram na ilha de Kirrin. Mas têm de ser rápidos, pois OS CINCO não são os únicos na caça ao tesouro…

OS CINCO E A PASSAGEM SECRETA
As férias no Casal Kirrin não parecem boas para OS CINCO. A Zé e os primos estão presos em casa: tiveram más notas e o Sr. Roland, o precetor, está lá para fazê-los trabalhar. Mas os quatro jovens detetives e o seu cão, Tim, estão alerta. Acabam de descobrir uma passagem secreta sob a casa…

Os Cinco vol. 1: Os Cinco e a Ilha do Tesouro (baseada na obra de Enid Blyton)
Os Cinco vol. 2: Os Cinco e a Passagem Secreta (baseada na obra de Enid Blyton)
Nataël & Béja
Editora: Oficina do Livro
Páginas: 32, a cores (cada livro)
Encadernação: capa dura
Dimensões: 295 x 221 mm
ISBN: 978-989-660-756-2 (vol. 1) | 978-989-660-758-6 (vol. 2)
PVP: 10,90€ (cada)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.