As Últimas Nomeações de 2019 dos Prémios Bandas Desenhadas.

Uma das características dos Prémios Bandas Desenhadas são as nomeações trimestrais, designadas com o nome da principal estação do ano correspondente. Deste modo, têm-se vindo a realizar as Nomeações de Inverno (obras publicadas entre 1 de janeiro e 31 de março), Primavera (1 de abril a 30 de junho), Verão (1 de julho a 30 de setembro) e Outono (1 de outubro a 31 de dezembro).

No entanto, desde a conceção dos Prémios, dado não habitarmos num modelo matemático, tinha-se conhecimento que, apesar das exaustivas avaliações que fossem realizadas trimestre a trimestre, não seria possível aceder à totalidade das obras publicadas em cada um desses períodos pelas mais variadas razões. Deste modo, concomitantemente com a criação das nomeações trimestrais, foram criadas as Nomeações Extemporâneas, de modo a salvaguardar o direito de poder vir a considerar para estas nomeações finais as obras cuja apreciação pelos jurados não foi possível realizar na estação do ano correspondente. Relembra-se, portanto, que as Nomeações Extemporâneas têm em conta todas as obras publicadas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2019.

No dia 22 de fevereiro, a reunião para decisão das Nomeações Extemporâneas de 2019 contou com a presença da totalidade da equipa nuclear do site no seu papel de jurados dos Prémios Bandas Desenhadas, Carla Ramos, Nuno Pereira de Sousa, Susana Figueiredo e Rodrigo Ramos.

O júri deliberou em nomear Toutinegra, da autoria de André Oliveira e Bernardo Majer, para a categoria de Melhor Publicação Nacional com Distribuição Comercial nas Nomeações Extemporâneas. Não só o argumento da obra cativou os jurados, como consideraram que as ilustrações de Majer se adaptavam à narrativa. O argumento de André Oliveira foi ainda nomeado para o Melhor Argumento Nacional.

A edição de autor de Zé Burnay de Andromeda or The Long Way Home teve, por sua vez, também direito a duas nomeações, Melhor Publicação Nacional com Distribuição Alternativa e Melhor Edição. Se as ilustrações de Burnay foram as principais responsáveis pela primeira nomeação, o cuidado design da edição, seja do CD acompanhante (incluindo o seu encarte), seja do livro (como a lombada em tecido, o papel ou a opção pelo cobre metálico), salientou-se entre as demais propostas.

A versatilidade de Roberto Gomes nas cinco narrativas de Mar de Aral, valeram à obra a nomeação para Melhor Ilustração Nacional, dado as mesmas se encontraram perfeitamente apropriadas a cada uma das bandas desenhadas.

Quanto à nomeação extemporânea de Melhor Antologia Nacional, a mesma foi para Apocryphus: Sci-Fi, o quarto volume desta série de periodicidade anual, editada por Miguel Jorge. A nomeação para Melhor BD Curta em Antologia Nacional nomeada foi também retirada desta publicação, “Guerra das Flores”, da autoria de Rogério Ribeiro e Aires Melo.

O Espírito do Escorpião, de Fernando Llor (argumento) e Pablo Caballo (desenho), teve direito a duas nomeações, para Melhor Publicação Estrangeira e Melhor Argumento Estrangeiro. Neste relato, aborda-se não só o genocídio em Srebrenica, como se descreve a fé cega em práticas ditas medicinais alternativas.

No que toca à Melhor Ilustração Estrangeira, a escolha do júri recaiu em Descender vol. 4: Mecânica Orbital, ilustrado por Dustin Nguyen.

Por sua vez, A Loja de Derradé obteve a nomeação para Melhor Publicação de Humor.

Quanto à nomeação para a Melhor Série de Publicações, foi para Criminal de Ed Brubaker e Sean Phillips, não só pela própria banda desenhada, como pela escolha da editora no que toca ao formato e compilações realizadas, apesar de conter uma seleção mais parca de extras do que as deluxe editions da Icon.

Por fim, a obra Comanche vol. 2, da autoria de Greg e Hermann, foi nomeada para a Melhor Reedição. Apesar da inexistência de material extra, esta reedição a preto e branco e em grande formato permite a visualização do trabalho de Hermann em todo o seu esplendor.

Apresenta-se de seguida a lista completa das Nomeações dos Prémios Bandas Desenhadas 2019:

Nomeações de 2019

Melhor Publicação Nacional com Distribuição Comercial

  • Inverno: Planície Pintada – Diniz Conefrey & Maria João Worm (Quarto de Jade)
  • Primavera: O Colega de Sevilha – Arlindo Fagundes (Arcádia)
  • Verão: Sentinel – Luís Louro (Asa)
  • Outono: Einstein, Eddington e o Eclipse: Impressões de Viagem – Ana Simões & Ana Matilde Sousa (Chili Com Carne)
  • Extemporânea: Toutinegra – André Oliveira & Bernardo Majer (Polvo)

Melhor Publicação Nacional com Distribuição Alternativa

  • Inverno: Paris, Texas – Hugo Maciel (Ao Norte)
  • Primavera: Tutti Frutti – Marco Mendes (Turbina)
  • Verão: Conversas com os Putos e os Professores Deles – Álvaro (Insónia)
  • Outono: Mariana – Paulo Monteiro (Panóplia d’Encantos)
  • Extemporânea: Andromeda or The Long Way Home – Zé Burnay (edição de autor)

Melhor Argumento Nacional

  • Inverno: Planície Pintada – Diniz Conefrey & Maria João Worm (Quarto de Jade)
  • Primavera: Tutti Frutti – Marco Mendes (Turbina)
  • Verão: Conversas com os Putos e os Professores Deles – Álvaro (Insónia)
  • Outono: Einstein, Eddington e o Eclipse: Impressões de Viagem – Ana Matilde Sousa (Chili Com Carne)
  • Extemporânea: Toutinegra – André Oliveira (Polvo)

Melhor Ilustração Nacional

  • Inverno: Planície Pintada – Diniz Conefrey & Maria João Worm (Quarto de Jade)
  • Primavera: Tutti Frutti – Marco Mendes (Turbina)
  • Verão: Sentinel – Luís Louro (Asa)
  • Outono: Einstein, Eddington e o Eclipse: Impressões de Viagem – Ana Matilde Sousa (Chili Com Carne)
  • Extemporânea: Mar de Aral – Roberto Gomes (G. Floy/ Comic Heart)

Melhor Antologia Nacional

  • Inverno: Pentângulo #2 (Ar.Co/Chili Com Carne)
  • Primavera: Venham +5 #10 (Bedeteca de Beja)
  • Verão: Legendary Horror Stories volume um (Legendary Books)
  • Outono: Umbra n.º 1 (Umbra)
  • Extemporânea: Apocryphus: Sci-Fi (Mighell Publishing)

Melhor BD curta editada em Antologia Nacional

  • Inverno: “Veneza” – Francisco Sousa Lobo (Pentângulo #2 – Ar.Co/Chili Com Carne)
  • Primavera: “Setembro” – Susa Monteiro (Venham +5 #10 – Bedeteca de Beja)
  • Verão: “Nós” – Nuno Duarte & Rita Alfaiate (Legendary Horror Stories volume um – Legendary Books)
  • Outono: (BD inominada) – João Carola (All Watched Over by Machines of Loving Grace – Chili Com Carne)
  • Extemporânea: “Guerra das Flores” – Rogério Ribeiro e Aires Melo (Apocryphus: Sci-Fi – Mighell Publishing)

Melhor BD de Autor/Coautor Nacional publicada originalmente no Estrangeiro

  • Inverno: (não atribuído)
  • Primavera: A Morte Viva – Alberto Varanda (Ala dos Livros)
  • Verão: (não atribuída)
  • Outono: O Coleccionador de Tijolos – Pedro Burgos (Chili Com Carne)
  • Extemporânea: (não atribuído)

Melhor Publicação Estrangeira

  • Inverno: Jessica Jones vol. 1: Sem Limites – Brian Michael Bendis & Michael Gaydos (G. Floy)
  • Primavera: Sabrina – Nick Drnaso (Porto Editora)
  • Verão: O Número 73304-23-4153-6-96-8 – Thomas Ott (Levoir)
  • Outono: Eu, Louco – Antonio Altarriba & Keko (Ala dos Livros)
  • Extemporânea: O Espírito do Escorpião: A Máscara do Genocídio de Srebrenica – Fernando Llor & Pablo Caballo (Escorpião Azul)

Melhor Argumento Estrangeiro

  • Inverno: Jessica Jones vol. 1: Sem Limites – Brian Michael Bendis (G. Floy)
  • Primavera: Sabrina – Nick Drnaso (Porto Editora)
  • Verão: O Número 73304-23-4153-6-96-8 – Thomas Ott (Levoir)
  • Outono: Eu, Louco – Antonio Altarriba (Ala dos Livros)
  • Extemporânea: O Espírito do Escorpião: A Máscara do Genocídio de Srebrenica – Fernando Llor (Escorpião Azul)

Melhor Ilustração Estrangeira

  • Inverno: Monstress vol. 3: Refúgio – Sana Takeda (Saída de Emergência)
  • Primavera: A Morte Viva – Alberto Varanda e Olivier Vatine (Ala dos Livros)
  • Verão: O Número 73304-23-4153-6-96-8 – Thomas Ott (Levoir)
  • Outono: Dois Irmãos – Fábio Moon & Gabriel Bá (G. Floy)
  • Extemporânea: Descender vol. 4: Mecânica Orbital – Dustin Nguyen (G. Floy)

Melhor Antologia Estrangeira

  • Inverno: (não atribuído)
  • Primavera: (não atribuído)
  • Verão: (não atribuído)
  • Outono: (não atribuído)
  • Extemporânea: (não atribuído)

Melhor BD curta editada em Antologia Estrangeira

  • Inverno: (não atribuído)
  • Primavera: (não atribuído)
  • Verão: (não atribuído)
  • Outono: (não atribuído)
  • Extemporânea: (não atribuído)

Melhor Publicação de Humor

  • Inverno: O Diário de Esther: Histórias do Meus 10 Anos vol. 2 – Riad Sattouf (Gradiva)
  • Primavera: Baby Blues 36: Criança Não Entra! – Rick Kirkman & Jerry Scott (Bizâncio)
  • Verão: Conversas com os Putos e os Professores Deles – Álvaro (Insónia)
  • Outono: O Pesadelo de Obi – Chino, Tenso Tenso & Ramón Esolo Ebalé (Tigre de Papel)
  • Extemporânea: A Loja – Derradé (Polvo)

Melhor Série de Publicações

  • Inverno: (não atribuído)
  • Primavera: Descobridores (Gradiva)
  • Verão: Novela Gráfica – V Série (Levoir)
  • Outono: Y – O Último Homem (Levoir)
  • Extemporânea: Criminal – Ed Brubaker & Sean Phillips (G. Floy)

Melhor Edição

  • Inverno: Darwin vol. 1: A Bordo do Beagle – Christian Clot & Fabio Bono (Gradiva)
  • Primavera: Darwin vol. 2: A Origem das Espécies – Christian Clot & Fabio Bono (Gradiva)
  • Verão: Sentinel – Luís Louro (Asa)
  • Outono: Os Filhos de El Topo vol. 1: Caim – Alexandro Jodorowsky & José Ladrönn (Arte de Autor)
  • Extemporânea: Andromeda or The Long Way Home – Zé Burnay (edição de autor)

Melhor Reedição

  • Inverno: (não atribuído)
  • Primavera: Corto Maltese: As Célticas – Hugo Pratt (Arte de Autor)
  • Verão: A Febre de Urbicanda – Schuiten & Peeters (Levoir)
  • Outono: Os Escorpiões do Deserto Obra Completa volume 1 – Hugo Pratt (Ala dos Livros)
  • Extemporânea: Comanche vol. 2 – Greg & Hermann (Ala dos Livros)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.