O primeiro bimestre editorial de banda desenhada em Portugal no ano 2020.

Se é verdade que fevereiro, inclusivamente nos anos bissextos, é o menor mês do ano, tal não significa que forçosamente seja o mês com menos publicações de banda desenhada. Na verdade, identificou-se um maior número de edições de BD em fevereiro de 2020 do que no mês precedente. E não fosse algumas editoras adiarem total ou parcialmente as edições previstas para o mês de fevereiro para o mês seguinte (como a Devir ou a Nuvem de Letras), o número de publicações de banda desenhada seria ainda superior.

Apesar de tal, o número de chancelas e editoras que publicaram banda desenhada neste primeiro bimestre ainda é diminuto, quando comparado com os números finais obtidos ano após ano.

Em fevereiro de 2020, identificou-se a edição de 29 publicações de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas). Sem dúvida que, para este número ser atingido, muito contribuíram as séries distribuídas em fevereiro nos pontos de venda de periódicos. No entanto, somente 2 dessas edições têm ou terão como exclusividade este canal de distribuição. Todos as demais, têm concomitantemente ou terão posteriormente distribuição em livrarias.

Por outro lado, em fevereiro foram identificadas 3 publicações com distribuição alternativa, isto é, publicações de BD que não são distribuídas no canal livreiro nem em pontos de venda de periódicos Conclui-se então que 10% das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Em resumo, quanto ao canal de distribuição:

  • Canal livreiro: 24 (alguns dos quais, só foram ainda distribuídos em bancas ou em eventos)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 2
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 3

Eis o número de publicações identificadas, segundo o formato:

  • Jornais: 0
  • Livros: 27
  • Revistas: 0
  • Outros (brochuras, etc): 2

Dos 27 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 24
  • Capa mole: 3

E a distribuição das 29 publicações por cor de impressão:

  • Cores: 24
  • Preto: 5

Das 29 publicações de fevereiro, o país de origem tem a seguinte distribuição:

  • Bélgica: 3
  • Brasil: 1
  • Canadá: 1
  • EUA: 11
  • França: 5
  • Portugal: 8

A nível das 21 publicações de material estrangeiro, eis as editoras originais:

  • Barba Negra: 1
  • Dark Horse: 1
  • DC Comics: 5
  • Les Éditions Albert René: 2
  • Glénat: 1
  • Hachette: 2
  • Image: 2
  • Le Lombard: 3
  • Marvel: 2
  • McClelland & Stewart: 1
  • Tundra Books: 1

Quanto ao quinquénio da edição original, as 29 publicações distribuem-se do seguinte modo:

  • 1945 – 1950: 1
  • 1960 – 1964: 1
  • 1980 – 1984: 1
  • 1985 – 1989: 3
  • 2010 – 2014: 1
  • 2015 – 2019: 13
  • 2020: 9

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 29 publicações verifica-se a existência de:

  • Inéditos mundiais: 6
  • Inéditos em Portugal: 14
  • Reedições: 9

Eis as editoras das publicações identificadas:

  • Ala dos Livros: 1
  • Arte de Autor: 1
  • Bertrand: 1
  • Escorpião Azul: 2
  • G. Floy: 5
  • Gailivro: 1
  • Gradiva: 2
  • Kingpin: 2
  • Levoir: 5
  • Liliana Maia (via Lulu): 1
  • Massacre: 1
  • Nuvem de Letras: 1
  • Oficina do Livro: 2
  • Polvo: 1
  • Salvat: 2
  • Serafim & Malacuéco Inc.: 1

Ressalve-se que as duas edições da Kingpin correspondem à mesma obra nas suas versões em língua portuguesa e inglesa.

Eis as respetivas capas (ordenadas alfabeticamente por editora):

Para esta análise não são contempladas reimpressões. Também não fazem parte desta análise as revistas e livros importados em língua francesa e na norma brasileira da língua portuguesa, distribuídos nos pontos de venda de periódicos.

Quanto à forma como o nosso Observatório contabiliza as edições mensais, tem em conta a primeira forma de comercialização da obra, independentemente do canal utilizado. Deste modo, edições comercializadas através do site ou das redes sociais de uma editora, bem como num dado evento, num determinado mês, são contabilizadas como publicadas nesse mês, independentemente do mês em que venha a ocorrer a eventual distribuição generalizada nos pontos de venda de periódicos ou livrarias.

Por fim, uma breve nota quanto às edições sobre BD. Em fevereiro de 2020, não se identificou nenhuma publicação deste género.

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Registe-se que, apesar do material nacional corresponder com alguma frequência ao 1.º lugar de publicações mensais distribuídas por país, tal tem como grande contributo as publicações com distribuição alternativa às bancas e livrarias (em 2019, somente 36% das publicações de material nacional identificadas teve distribuição para o grande público). Num mês em que se identificaram 8 publicações com material português, verifica-se que 25% das mesmas não tiveram nem terão distribuição para o grande público.

A Escorpião Azul disponibilizou 2 volumes de autores portugueses, a edição integral de Júpiter de Ricardo Lopes (inicialmente planeado para janeiro) e a obra O Penteador de Paulo J. Mendes.

Por seu turno, a Gailivro editou o 13.º volume de As Aventuras de Zé Leitão e Maria Cavalinho de Pedro Leitão, intitulado A Incrível Vitória Carmim, com a periodicidade anual a que nos habituou.

Quanto à Kingpin, após em 2019 ter somente participado numa coedição em conjunto com outras 2 editoras, regressa à edição a solo com as versões portuguesa e inglesa de Mindex, da autoria de Fernando Dordio, Pedro Cruz e Mário Freitas. Trata-se da penúltima obra ainda inédita entre as que oficialmente tiveram direito a uma antevisão no Anicomics Lisboa 2016. Refira-se que, inclusivamente, Mindex teve direito à sua primeira apresentação em 2012.

Liliana Maia vale-se da plataforma norte-americana Lulu para disponibilizar aos leitores interessados o livro BD Curtas, o qual compila diversas bandas desenhadas da sua autoria.

O coletivo Massacre editou a sua primeira BD na finissage da sua exposição Loot Box. Da autoria de Mao, tem por título UltraSaiyanJedi is streaming Tactical Arena: Apocalypse, March 11th (Twitch is like the fun side of the military-industrial-surveillance complex).

Por fim, a Serafim & Malacuéco Inc. continua a apostar nas comemorações do 1.º Centenário de Eduardo Teixeira Coelho, com o quarto zine da série “Fandaventuras Especial” dedicado a O Caminho do Oriente, colorido por José Pires para a ocasião.

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Em fevereiro, quatro editoras iniciaram 5 séries. A Gradiva publicou o primeiro tomo de As Novas Aventuras de Bruno Brazil de Laurent-Frédéric Bollée e Philippe Aymond. A Levoir, em conjunto com o jornal Público, iniciou a Coleção Watchmen, a qual reedita a série original de Alan Moore e Dave Gibbons, bem como uma seleção de outras bandas desenhadas onde aquelas personagens surgem. Publicou ainda, numa minissérie em 2 volumes, Harleen de Stjepan Šejić. Quanto à Nuvem de Letras, iniciou a série Narval e Alforreca de Ben Clanton. Por fim, a Oficina do Livro iniciou a série Os Cinco de Nataël e Béja, baseada na obra de Enid Blyton.

Para além destes 13 lançamentos, cinco editoras prosseguiram as suas séries: a Ala dos Livros com o último volume de Comanche – Obras Completas de Greg e de Hermann; a Arte de Autor com o quarto volume de Duke; a G. Floy com os últimos volumes de Jessica Jones e Ms. Marvel, os penúltimos volumes de Descender e Harrow County e o quarto volume de The Wiched + The Divine; a Gradiva com o terceiro volume de A Sabedoria dos Mitos; e a Salvat com dois volumes de Astérix: Coleção Integral.

Por seu turno, a Bertrand editou A História de uma Serva: Novela Gráfica de Renée Nault, baseada na obra de Margaret Atwood.

Por fim, a Polvo reeditou Morro de Favela de André Diniz e Maurício Hora, com um conjunto de novas páginas de banda desenhada, produzidas em 2017.

O ANO DE 2020, ATÉ AO MOMENTO

Adições a janeiro

Apesar do nosso trabalho desenvolvido todos os meses, identificámos com atraso 3 edições de banda desenhada, publicadas em janeiro de 2020.

Apesar de termos dado a indicação de que o CD Eye18 dos Krypto, coeditado pela Chili Com Carne e Lovers & Lollypops, era acompanhado por uma banda desenhada, somente este mês constatámos que se trata de um livro de BD de 20 páginas, com direito a ISBN.

Por seu turno, a revista Lego Jurassic World #2, editada pela Blue Ocean, tem um número de páginas de BD superior a 50% do total das páginas da revista, pelo que a consideramos uma revista de BD.

Por fim, dado existir uma versão impressa de Orion #5, editada por Renato Abreu, apesar de limitada aos colaboradores, considerou-se também este fanzine.

A adição destas 3 obras à base de dados alteram ligeiramente os dados previamente apresentados sobre o mês de janeiro, pelo que os números totais relativos ao primeiro bimestre do ano já refletem esta adição.

O primeiro bimestre de 2020

Adicionámos os números identificados em janeiro aos números obtidos em fevereiro, para caracterizar o ano editorial nos primeiro bimestre do ano de 2020.

Total:

  • 53 publicações de BD
    • janeiro: 24
    • fevereiro: 29

Subtotais:

  • Livros de BD com distribuição no canal livreiro e/ou bancas: 48
    • janeiro: 22
    • fevereiro: 26
  • Revistas de BD com distribuição no canal livreiro e/ou bancas: 1
    • janeiro: 1
    • fevereiro: 0
  • Publicações de BD com distribuição alternativa: 4
    • janeiro: 1
    • fevereiro: 3

Distribuição:

  • Canal livreiro: 44 (alguns dos quais, só foram ainda distribuídos em bancas ou em eventos)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 5
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 4

Cerca de 8% das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Formato:

  • Jornais: 0
  • Livros: 49
  • Revistas: 1
  • Outros (brochuras, etc): 3

Os livros correspondem a cerca de 92% das publicações de BD. Dos 49 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 34
  • Capa mole: 15

A encadernação em capa dura está presente em cerca de 69% dos livros de banda desenhada.

Cor de impressão:

  • Cores: 43
  • Preto: 10

A impressão do miolo a cores está presente em 81% das publicações de BD.

País de origem:

  • Alemanha: 1
  • Bélgica: 3
  • Brasil: 1
  • Canadá: 1
  • EUA: 17
  • França: 15
  • Japão: 3
  • Portugal: 12

No primeiro bimestre, o país de origem mais representado são os EUA com 17 edições. Segue-se França com 15 edições. Caso se agregue França e Bélgica (18 edições), superam as 17 edições de material norte-americano. Portugal fica em 3.º lugar, com 12 edições. Destas, 3 publicações (25%) não tiveram nem terão distribuição para o grande público.

Editoras originais das 41 publicações de material estrangeiro:

  • Andrews McMeel: 1
  • Barba Negra: 1
  • Blue Ocean: 1
  • Casterman: 1
  • Dargaud: 5
  • Dark Horse: 1
  • DC Comics: 5
  • Les Éditions Albert René: 5
  • Glénat: 2
  • Hachette: 2
  • IDW: 2
  • Image: 3
  • Le Lombard: 3
  • Marvel: 4
  • McClelland & Stewart: 1
  • Shueisha: 3
  • Tundra Books: 1

Do material estrangeiro, destacam-se a Dargaud, a DC Comics e Les Éditions Albert René, que tiveram direito a 5 edições cada uma.

Quinquénio da edição original:

  • 1945 – 1950: 1
  • 1960 – 1964: 1
  • 1965 – 1969: 1
  • 1980 – 1984: 1
  • 1985 – 1989: 3
  • 1995 – 1999: 3
  • 2000 – 2004: 3
  • 2005 – 2009: 2
  • 2010 – 2014: 2
  • 2015 – 2019: 22
  • 2020: 14

As edições originalmente publicadas no quinquénio 2015-2019 correspondem a cerca de 45% das publicações de banda desenhada. Cerca de 26% foram originalmente publicadas este ano.

Originalidade:

  • Inéditos mundiais: 10
  • Inéditos em Portugal: 26
  • Reedições: 17

As reedições correspondem a cerca de 32% das edições de banda desenhada no primeiro bimestre (no ano de 2019, as reedições corresponderam a 16% das obras editadas).

Publicações por editora: 

  • Ala dos Livros: 2
  • Arte de Autor: 2
  • ASA: 6
  • Bertrand: 1
  • Blue Ocean: 1
  • Chili Com Carne: 1 ½ (2 publicações)
  • Devir: 3
  • Escorpião Azul: 2
  • FA: 1
  • G. Floy: 7
  • Gailivro: 1
  • Gradiva: 2
  • Kingpin: 2
  • Levoir: 5
  • Liliana Maia (via Lulu): 1
  • Lovers & Lollypops: ½ (1 publicação)
  • Massacre: 1
  • Nuvem de Letras: 4
  • Oficina do Livro: 2
  • Planeta: 1
  • Polvo: 1
  • Renato Abreu: 1
  • Salvat: 4
  • Serafim & Malacuéco Inc.: 1

Verifica-se então que, no primeiro bimestre, a G. Floy revelou-se o líder no segmento do mercado, com um total de 7 lançamentos, destronando a ASA, que mantém os seus 6 lançamentos de janeiro. Segue-se a Levoir com 5 publicações. Por fim, destaca-se ainda a Nuvem de Letras e a Salvat, com 4 publicações cada, bem como a Devir com 3 edições.

Edições sobre BD:
Ainda não se identificaram edições sobre BD em 2020.


nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2020.
imagem: Painel de personagens de BD em azulejaria no Parque das Nações, Lisboa (© Bandas Desenhadas, fevereiro de 2020)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.