Relendo Living Will #2 de André Oliveira e Joana Afonso.

Escolhi este livro, o número dois da coleção Living Will de André Oliveira e Joana Afonso pelo tema de arranque e capa: uma apresentadora de um famoso programa de televisão, no qual dão dinheiro por causa de um simples atender de telefone, escolhido, diga-se, à sorte. Tipo totoloto.

As escolhas são sempre pessoais, claro. Atrai-me imenso a televisão como objecto e, por vezes, de forma negativa. Todavia, luto para quebrar esta ideia de negatividade e sentar-me a beber uma meia de leite  e a comer um pãozinho, observando um programa de entretenimento da tarde ou mesmo da manhã sem ser tão crítica (para dentro, note-se) e não apenas quando lavo a louça ou arranjo algo rápido, antes do almoço. Tem dado alguns frutos mas penso ser devido à idade e maternidade. Fica-se algo mais empático. Mesmo com aquilo com que nem se concordava, anteriormente. Ou então, estou mais velha. Porém, o facto é que me atraiu a capa desta coleção e, assim, fiz a escolha.

“Just Betty” é o nome do programa que apresenta uma senhora em espiral de crise existencial e consciência. Da solidão do topo – e imaginemos, “pessimisticamente”, que será sempre a descer depois desse topo e que, para a descida, é certo que todos os “santos ajudam” – chega, assim, de mansinho, a decadência! Que Betty assim prevê. A apresentadora.

A história continua com a “Just Betty” ligada às casas, aos lares, à família ou à falta dela. A TV ligada, a TV como uma companhia. A TV sempre ligada. 

Dois idosos e um reencontro – e não quero ser spoiler mas vale a pena esse reencontro – que saberá a mel ou a fel? A redenção ou a culpa? E, no fim, algo sempre nosso, sempre actual: não te excites demasiado, olha lá o coração, és velho pá! 

Escrito em inglês por André Oliveira, flui “cinematicamente” e a história não acaba; fica, assim, para um próximo número saber se Betty cura alguma das suas dores ou se se afunda no álcool (OK, estou a inventar – infelizmente não comprei mais nenhum número mas eventualmente tratarei disso, atempadamente).

Será um “game over”? Um tarde demais? 

O desenho de Joana Afonso faz desenhar um parecer “easy like the sunday morning”; é virtuosa. 

Os dois mostram bom ritmo, bons planos e sequências; em suma: uma boa dupla.

Living Will #2
André Oliveira, Joana Afonso
Editora: Ave Rara
Páginas: 16, a cores
Encadernação: agrafes
ISBN: 978-989-20-4620-4

SOBRE O AUTOR |

Ana Ribeiro
Ana RibeiroColaboradora
Costumava desenhar de joelhos, com os braços em cima da cama quando era pequenita e mais tarde numa mesa de escola. Os joelhos agradeceram. Cresci com banda desenhada e criei o fanzine "durtykat" em 2001. Viajei quase à pala e fui colaborando e comunicando através de desenhos, nascendo assim as Nits, em 2014. Voltei a desenhar de joelhos mas eles não se têm queixado. A última exposição foi na Galeria Mundo Fantasma, no Porto, no ano de 2019.