As Nomeações de Inverno 2020 dos Prémios Bandas Desenhadas.

Como tínhamos anunciado, desvendamos hoje a primeira lista de Nomeados dos Prémios Bandas Desenhadas 2020. As obras elegíveis para as Nomeações de Inverno são as constantes dos relatórios mensais referentes ao 1.º trimestre do ano do site Bandas Desenhadas, bem como as adições relativas a esse período posteriormente realizadas nos relatórios seguintes até à presente data. Apesar das exaustivas avaliações, não foi possível aceder à totalidade das 73 obras publicadas nesse período, estando salvaguardado o direito de poder vir a considerá-las para as Nomeações Extemporâneas finais.

O júri deliberou em nomear a obra O Penteador de Paulo J. Mendes, editado pela Escorpião Azul, para as categorias de Melhor Publicação Nacional com Distribuição Comercial, Melhor Argumento Nacional e Melhor Ilustração Nacional. Apesar de ser a primeira obra do autor num registo longo de banda desenhada, a mesma vive e lucra tecnicamente da sua experiência em sketching. Quanto ao argumento, apesar de despretensioso, está repleto de nostalgia por tempos mais bucólicos e simples, sendo pontilhado com o absurdo. Sem esquecer a crítica sociopolítica, a obra foi construída de modo a conter momentos que teimam em se repetir, a lembrar as ladainhas. É um primeiro livro que se saúda e que desperta curiosidade quanto ao que constará do próximo registo.

Quanto à categoria de Melhor Publicação Nacional com Distribuição Alternativa, a escolha dos jurados recaiu em Marcos 2020, do autor anónimo criador d’ Os Positivos. Trata-se de uma compilação de bandas desenhadas inicialmente publicadas no site Os Positivos enquanto ilustração dos seus artigos, com uma seleção de trabalhos realizados entre 2016 e 2020. A coletânea abrange diversas temáticas e prova a autonomia das BD após a sua extirpação dos artigos que as acompanhavam.

Apesar do desequilíbrio de propostas na antologia Pentângulo #3, editada pela Chili Com Carne em parceria com o Ar.Co, o júri considera que há material q.b. que justifique a sua nomeação para Melhor Antologia. Figura, inclusivamente, nesta antologia a nomeada para Melhor BD Curta, denominada “Construção” e da autoria de Francisco Sousa Lobo. Nesta, inspirada numa capa da antologia de BD Raw, o autor reflete sobre o que está para lá da aparência da banda desenhada.

Quanto às publicações estrangeiras, após muita ponderação, a nomeação para a Melhor Publicação Estrangeira foi para O Pacto da Letargia de Miguelanxo Prado, editado pela Ala dos Livros. Por um lado, a qualidade do trabalho gráfico garantiu também à obra a nomeação para Melhor Ilustração Estrangeira. Por outro lado, se é um facto que frequentemente se privilegia, do ponto de vista narrativo, os conflitos psicológicos dos indivíduos e/ou as suas relações “a dois”, o facto desta obra trilhar outro caminho para se aproximar de temáticas coletivas de um modo geral e, particularmente, do binómio culpa/responsabilidade de uma forma global, torna-a peculiar.

Quanto à nomeação para Melhor Argumento Estrangeiro, o júri elegeu A História de uma Serva: novela gráfica, da autoria de Renée Nault – tendo por base a obra de Margaret Atwood – e publicada pela Bertrand. Revelando-se simultaneamente fiel à obra original mas conseguindo uma voz própria, esta BD relembra como não são necessários muitos passos para estados democráticos se converterem em regimes teocráticos, totalitários e opressivos, nesta altura em que a conquista das mulheres pelos seus plenos direitos está algo esquecida e parece, erradamente, se ter travado num passado longínquo da Humanidade.

A obra Chapéus Há Muitos, Unicórnio!, o sétimo volume da série Bia e o Unicórnio de Dana Simpson, editada pela Nuvem de Letras foi nomeada para Melhor Publicação de Humor. Os jurados destacam tratar-se de uma imaginativa série infantojuvenil, um segmento atualmente pouco explorado na edição de BD no nosso país. Através desta série, a autora, que transitou do género masculino para o feminino, pode, de alguma forma, viver a sua infância como uma menina, através da personagem Bia.

Descender, da autoria de Jeff Lemire e Dustin Nguyen, cujo quarto volume já tinha tido direito à nomeação para Melhor Ilustração Estrangeira em 2019, foi a escolha do júri para a Melhor Série de Publicações. Esta série de ficção científica editada pela G. Floy encontra-se em plena reta final para o último número, e se obras como Inteligência Artificial ou, inclusivamente, Galactica, podem ser citadas como influências, os autores conseguiram construir uma obra original sobre a interdependência entre humanos e máquinas e indagar qual o lugar de cada um no universo.

A nível de Melhor Edição, o júri nomeou Druuna Tomo 4 – Planeta Esquecido | Clone, da autoria de Paolo E. Serpieri, editado pela Arte Autor. A edição distinguiu-se não apenas pelos acabamentos da obra mas também pela inclusão de extras, a nível de ilustração e banda desenhada.

Por fim, os jurados nomearam para a categoria de Melhor Reedição O Morro da Favela de André Diniz, com fotos de Maurício Hora. O valor acrescentado desta nova edição da Polvo prende-se não somente com apresentar capa dura mas principalmente pela inclusão de 12 páginas extra de banda desenhada.

Apresenta-se de seguida a lista completa das Nomeações de Inverno dos Prémios Bandas Desenhadas 2020:

Nomeações de 2020

Melhor Publicação Nacional com Distribuição Comercial

  • Inverno: O Penteador – Paulo J. Mendes (Escorpião Azul)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Publicação Nacional com Distribuição Alternativa

  • Inverno: Marcos 2020 – autor anónimo (Os Positivos)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Argumento Nacional

  • Inverno: O Penteador – Paulo J. Mendes (Escorpião Azul)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Ilustração Nacional

  • Inverno: O Penteador – Paulo J. Mendes (Escorpião Azul)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Antologia Nacional

  • Inverno: Pentângulo #3 (Chili Com Carne)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor BD curta editada em Antologia Nacional

  • Inverno: “Construção” – Francisco Sousa Lobo (Pentângulo #3 – Chili Com Carne)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Publicação Estrangeira

  • Inverno: O Pacto da Letargia – Miguelanxo Prado (Ala dos Livros)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Argumento Estrangeiro

  • Inverno: A História de uma Serva: novela gráfica (baseada na obra de Margaret Atwood) – Renée Nault (Bertrand)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Ilustração Estrangeira

  • Inverno: O Pacto da Letargia – Miguelanxo Prado (Ala dos Livros)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Publicação de Humor

  • Inverno: Bia e o Unicórnio vol. 7: Chapéus Há Muitos, Unicórnio! – Dana Simpson (Nuvem de Letras)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Série de Publicações

  • Inverno: Descender – Jeff Lemire & Dustin Nguyen (G. Floy)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Edição

  • Inverno: Druuna Tomo 4: Planeta Esquecido | Clone – Paolo E. Serpieri (Arte de Autor)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Reedição

  • Inverno: O Morro da Favela – André Diniz (Polvo)
  • Primavera:
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

O anúncio das Nomeações de Primavera dos Prémios Bandas Desenhadas 2020, referentes às obras editadas no 2.º trimestre, será realizado no início de agosto.

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.