As 10 obras mais recentes recomendadas pela ACBD.

Como tem sido hábito nos últimos anos, a francesa ACBD – Association des Critiques et journalistes de Bande Dessinée elaborou, por ordem alfabética, uma listagem de quais os álbuns lançados no mercado franco-belga nos últimos meses que mais atenção despertaram nos elementos da ACBD e que, deste modo, propõem como leitura para as férias estivais.

Se é verdade que, de um modo geral, o mercado editorial nacional continua afastado das obras de BD franco-belgas premiadas e/ou recomendadas pela ACBD, também é verdade que algumas editoras realizam diferentes propostas neste âmbito. Independentemente de tal, os recentes 10 álbuns indicados pela ACBD encontram-se inéditos – e assim permanecerão? – no nosso país.

Das 20 propostas estivais de 2016, somente três BD conheceram até ao momento edição nacional (a banda desenhada espanhola A Casa, de Paco Roca, pela Levoir; O Diário de Esther: Histórias dos Meus 10 Anos, de Riad Sattouf, pela Gradiva; e, este ano, O Homem que Matou Lucky Luke, de Matthieu Bonhomme, por A Seita). Quanto às 20 BD propostas em 2017, somente existiu uma edição nacional (a Levoir editou Uma Irmã, de Bastien Vivès), apesar de estar nos planos de uma editora mais uma edição para este ano (não relacionada com a indicação dada por outra editora ao Bandas Desenhadas, há uns anos, de que se publicaria um outro livro da lista de 2017 mas que nunca se concretizou). De modo semelhante, das 20 propostas de 2018, também só foi publicada uma obra no nosso país até ao momento (a Arte de Autor publicou Bug: Livro 1, de Enki Bilal). Quanto às 10 propostas de 2019, novamente se verifica só uma edição em Portugal, com o lançamento, este ano, de Blake e Mortimer: O Último Faraó, de François Schuiten, Jaco Van Dormael e Thomas Gunzig, pela ASA.

As propostas para 2020 recaíram nos álbuns de BD lançados em França entre 1 de novembro de 2019 e 6 de junho de 2020. Eis os 10 indispensáveis para o verão de 2020 da ACBD, não sendo a lista estrita, como se verifica, a autores francófonos.

  • Aldobrando, de Gipi & Luigi Critone (Casterman)
  • La Bombe, de Didier Alcante, Laurent-Frédéric Bollée & Denis Rodier (Glénat)
  • L’Homme qui tua Chris Kyle, de Fabien Nury & Brüno (Dargaud)
  • La Nuit est mon royaume, de Claire Fauvel (Rue de Sèvres)
  • Mind MGMT, de Matt Kindt (Monsieur Toussaint Louverture)
  • Paul à la maison, de Michel Rabagliati (La Pastèque) 
  • Payer la terre, de Joe Sacco (Futuropolis)
  • Peau d’homme, de Hubert & Zanzim (Glénat)
  • Pucelle T.1, de Florence Dupré la Tour (Dargaud)
  • Un travail comme un autre, de Alex W. Inker (Sarbacane)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.