A oitava reencarnação do herói.

Acaba de ser lançado em Portugal no mercado home video o filme Bloodshot em versão DVD, blu-ray e steelbook.

Mas muito antes de ser adaptado para o grande ecrã, Bloodshot foi (e continua a ser) uma série de banda desenhada norte-americana criada em 1993 pela Valiant Comics e já com várias reencarnações (sete séries).

A Banda Desenhada

Originalmente, Bloodshot é Angelo Mortalli, um assassino implacável a soldo da máfia e em rápida ascensão até ser traído pela sua famiglia e incriminado por assassinato. De modo a salvar a própria vida, entra no programa de protecção de testemunhas do FBI mas volta a ser traído, agora por um agente. É então raptado e obrigado a fazer parte do “Project Rising Spirit” que o transforma num super-soldado ao injectar-lhe no sangue milhões de nanites — nanobots que lhe dão super-força, poderes de regeneração e de cura, capacidades de combate aumentadas, capacidade de moldar o corpo e várias outras.

Mas, do mesmo modo que lhe dão estas capacidades, também apagam a sua memória.

No processo de recuperar a memória e de descobrir quem foi, Bloodshot acaba por encetar uma guerra com a sua família mafiosa, a polícia e contra os seus criadores.

Criado pelo escritor Kevin VanHook e pelo desenhador Yvel Guichet nas páginas de Eternal Warrior, ganha série própria uns meses depois com VanHook na escrita e o veterano Don Perlin no desenho.

A primeira série durou até 1996 e, de lá até agora, já teve mais seis séries.

Como curiosidade, a capa do primeiro comic é desenhada pelo lendário Barry Windsor-Smith (que fez algumas capas para a Valiant Comics).

De seguida, podem ver essa capa bem como a versão actual de Bloodshot.

O Filme e o DVD

Realizado por David S. F. Wilson (que se estreia como realizador de filmes) e protagonizado por Vin Diesel (Bloodshot), Eiza González, Sam Heughan, Toby Kebbell e Guy Pearce, foi distribuído pelos cinemas em Março de 2020, vendo a sua vida encurtada pela pandemia da COVID-19 e pelo fecho das salas de cinema.

É agora lançado em DVD e Blu-ray no nosso mercado, tendo ambos como extras:

• Um final alternativo;

  • Cenas eliminadas e extendidas;
  • Cenas excluídas e erros de gravação;
  • Iniciar sequência – Dirigir Bloodshot;
  • Soldados esquecidos – O elenco de Bloodshot

Pode dizer-se que, de uma maneira ou de outra, o filme é um remix bem conseguido das 7 séries de comics de Bloodshot, simplificando a trama. Até o nome do protagonista, Ray Garrison, é retirado de uma das séries mais recentes.

Garrison é um experiente marine que, na sequência de uma black-op em Mombaça é obrigado a assistir ao assassinato da mulher, acabando também por ser morto.

Ressuscitado pela “Rising Spirit Tech”, é-lhe injectado no sangue milhões de nanites que o tornam num super-soldado, uma arma-viva com super-força e poderes de cura instantânea. Aparentemente, há um efeito colateral: a perda total de memória.

Mas, por um ou outro flash, Garrison sabe uma única coisa… a sua mulher foi morta e ele tem de a vingar!

Cada frase que se escreva a mais acerca do enredo é revelar as surpresas que o filme vos reserva. E eu não gosto de spoilers!

No entanto, posso dizer-vos que Vin Diesel, dentro do estilo poucas-palavras-poucas-expressões, até não vai mal. E, seguramente, a nível físico até foi feito um óptimo trabalho de casting.

Já o Guy Pearce é quem me convence menos em termos de actuação.

Os efeitos especiais estão não só bem feitos como bem pensados (particularmente uma ou outra cena de cura) e a destruição de automóveis ao nível de inventividade está tão boa quanto a dos mais recentes filmes da saga “Velocidade Furiosa”.

Em suma, é um filme de entretenimento que se vê benzinho sem irritar ninguém, mas sem trazer nada de novo.

A mim, Bloodshot sempre me fez pensar que tinham pegado no Capitão-América, no Wolverine e no XIII e os tinham colocado aos três numa máquina misturadora. O resultado é um Bloodshot!

De qualquer modo, bons filmes!

SOBRE O AUTOR |

Francisco Pedro Lyon de Castro
Francisco Pedro Lyon de Castro
Amante da literatura em geral, apaixonado pela BD desde a infância, a sua vida adulta passa-a toda rodeado de livros como editor. Outra das suas grandes paixões é o cinema e a sua DVDteca.