O primeiro volume da série O Expresso do Amanhã.

A Novela Gráfica (série VI) da Levoir em distribuição com o jornal Público inicia-se no dia 22 de agosto, com a primeira de 14 propostas. Os Sobreviventes é o primeiro volume da série Expresso do Amanhã, originalmente editada em álbum pela editora belga Casterman.

Não é a primeira vez que a Levoir inclui na Novela Gráfica ou noutras colecções suas primeiros volumes que pertencem a diferentes séries, que posteriormente não têm continuidade nem pela própria nem por outras editoras, trate-se de BD franco-belga (p.e., Destemidas), comics da Vertigo (p.e. Os Livros de Magia, 100 Balas ou Preacher) ou infindáveis exemplos da Marvel (p.e., Gavião Arqueiro de Fraction e Aja).

Neste caso em concreto, O Expresso do Amanhã conta atualmente com 6 álbuns – o mais recente dos quais publicado este ano – e um álbum hors-série. No entanto, a Levoir só irá publicar os 3 primeiros álbuns – no segundo volume da Novela Gráfica (série VI) estão reunidos os 2.º e 3.º álbuns belgas.

Trata-se de uma política editorial que, por um lado, permite aos leitores terem contacto com os inícios de diferentes séries e que promove a diversidade, mas que, por outro lado, dificulta – ou impede – a curto e médio prazo a sua publicação contínua. É uma política que noutros países, onde a edição de banda desenhada em livro é um quota importante do mercado, em nada influi o mercado editorial que se dedica em exclusivo ao canal livreiro e saudavelmente convive com aquele. Nesses países, um leitor que, após a leitura do primeiro e/ou segundo volumes de O Expresso do Amanhã, adquirido(s) numa coleção mais económica, distribuída com um jornal, destinada aos pontos de venda de periódicos, se interesse em prosseguir a leitura da mesma, tem os seguintes álbuns disponíveis nas livrarias. No nosso país, a Levoir atua nos dois canais, disponibilizando os livros no canal livreiro vários meses após a sua distribuição em bancas. A sua escolha editorial preferencial recai em obras propositadamente inéditas em Portugal. Nesse sentido, quando as mesmas são as primeiras “amostras” de séries, têm como consequência acabar por se tornarem as únicas obras de cada série editadas em Portugal, dado dificilmente outra editora decidir continuar séries interrompidas.

Por outro lado, ao publicar cerca de metade de uma série, mostra mais uma vez como o termo novela gráfica oriundo dos EUA e promovido pelo marketing, dado ser desprovido de significado, pode significar o que quer que se deseja – e nem sequer está confinado à banda desenhada. Neste caso, é atribuído a uma banda desenhada publicada de forma seriada numa revista, para mais tarde ser compilada em álbum, sendo o primeiro álbum de uma série. Aliás, a promoção (cf. imagem final deste artigo) já começa a utilizar outros termos vãos, como “literatura ilustrada” (obviamente, termo que não se aplica somente à banda desenhada e que é curiosamente omnipresente na literatura infanto-juvenil, grupo etário alvo do qual provavelmente se deseja alienar).

Quanto a O Expresso do Amanhã: Os Sobreviventes, foi publicado inicialmente no periódico (À Suivre) #57-69 da Casterman, entre outubro de 1982 e junho de 1983. Viria a ser editado pela primeira vez em álbum em 1984. Trata-se do único álbum da série escrito por Jacques Lob (1932-1990), autor galardoado com o Grand Prix de la ville d’Angoulême em 1986, tendo os restantes volumes da série sido editados após o seu falecimento.

Esta BD começou a ser desenhada por Alexis (pseudónimo de Dominique Vallet) até à 17.ª prancha. Com o seu falecimento, coube a Jean-Marc Rochette desenhar a mesma. Todos os 6 álbuns e hors-série de O Expresso do Amanhã contam com a arte de Rochette.

Registe-se que a série foi adaptada ao cinema, tendo a Levoir mantido para a série de banda desenhada o título português do longa-metragem, Expresso do Amanhã. Estreado em julho de 2014 nas salas de cinema nacionais, este filme de 2013 foi realizado por Bong Joon-ho, contando com Chris Evans, Song Kang-ho, Jamie Bell, Tilda Swinton e Octavia Spencer nos principais papeis.

Em 2020, foi novamente adaptada, desta vez para o formato de série televisiva. Com o título idêntico ao original do filme, Snowpiercer, foi desenvolvida por Josh Friedman e Graeme Manson para o canal TNT, sendo exibida internacionalmente pela Netflix, incluindo no nosso país, estando a totalidade dos 10 episódios da primeira temporada disponíveis. Conta com os desempenhos de Jennifer Connelly, Daveed Diggs e Mickey Sumner, entre outros atores.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Publicado originalmente na revista (À Suivre) com o título Transceperneige. O Expresso do Amanhã foi criado por Jacques Lob (o único argumentista a ganhar o Grande Prémio de Angoulême) e pelo desenhador Jean-Marc Rochette. Este livro está na origem do filme Snowpiecer de Bong Joon-ho e da série com o mesmo título.
Percorrendo a imensidade branca de um inverno eterno e gelado, de um extremo ao outro do planeta, circula um comboio que nunca pára. É o Expresso do Manhã, com mil e uma carruagens; é o último bastião da civilização!

O Expresso do Amanhã I: Os Sobreviventes
Jacques Lob, Jean-Marc Rochette
Editora: Levoir
Páginas: 128, preto e branco
Encadernação: capa dura
Dimensões: 190 x 260mm
ISBN: 9789896828639
PVP: 10,90€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.