Os primeiros dois quadrimestres de edição de banda desenhada em Portugal em 2020.

Agosto é habitualmente ora um mês médio ora fraco quanto a novas edições de banda desenhada no nosso país. Por um lado, há frequentemente uma pausa no sector que opera no canal livreiro, sendo o mês da silly season por excelência. Por outro, o período estival não é rico em feiras e outros eventos onde se dá a distribuição alternativa, tendo quem se dedica a tal já apresentado novidades no Festival Internacional de BD de Beja e se encontrando – por entre as férias – a preparar as do Amadora BD.

Com a insolvência da Goody, cessaram também as publicações semanais e mensais de BD Disney e Marvel dos pontos de venda de periódicos, cuja periodicidade é indiferente ao vazio do mês de agosto.

Quanto ao agosto de 2020, a grande questão seria se, perante a inexistência dos supracitados eventos catalisadores de Beja e Amadora, as Feiras do Livro de Lisboa e Porto de 2020, providenciariam um efeito semelhante.

Atendendo a que o setembro cobrirá o maior período das Feiras, é uma questão ainda em aberto. É verdade que algumas editoras que operam no canal livreiro tem lançamentos este mês e os anúncios de lançamentos surgiram em catadupa nos últimos dias do mês de agosto, com a inauguração das Feiras, mas o seu número foi relativamente modesto.

Deste modo, em agosto de 2020, identificou-se a edição de 22 publicações de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas). Das publicações distribuídas em agosto nos pontos de venda de periódicos, somente 3 têm ou terão como exclusividade este canal de distribuição. Todas as demais, têm concomitantemente ou terão posteriormente distribuição em livrarias.

Por outro lado, em agosto foram identificadas 3 publicações de BD com distribuição alternativa no nosso país, isto é, que não são distribuídas no canal livreiro a nível nacional nem em pontos de venda de periódicos. Conclui-se então que 14% das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Em resumo, quanto ao canal de distribuição:

  • Canal livreiro: 16 (alguns dos quais, só foram ainda comercializados por contacto direto com a editora ou distribuídos em bancas ou em eventos)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 3
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 3

Eis o número de publicações identificadas, segundo o formato:

  • Jornais: 0
  • Livros: 21
  • Revistas: 0
  • Outros (brochuras, etc): 1

Dos 21 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 12
  • Capa mole: 9

E a distribuição das 22 publicações por cor de impressão:

  • Cores: 15
  • Preto: 7

Das 22 publicações de agosto, o país de origem tem a seguinte distribuição:

  • Bélgica: 3
  • EUA: 2
  • França: 7
  • Itália: 1
  • Japão: 1
  • Portugal: 8

A nível das 14 publicações de material estrangeiro, eis as editoras originais:

  • Allary: 1
  • Boom: 1
  • Casterman: 2
  • Les Éditions Albert René: 3
  • Glénat: 3
  • Le Lombard: 1
  • Oni: 1
  • Shueisha: 1
  • Tunué: 1

Quanto ao quinquénio da edição original, as 22 publicações distribuem-se do seguinte modo:

  • 1945 – 1949: 1
  • 1960 – 1964: 1
  • 1965 – 1969: 1
  • 1970 – 1974: 1
  • 1980 – 1984: 1
  • 1995 – 1999: 1
  • 2010 – 2014: 1
  • 2015 – 2019: 6
  • 2020: 9

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 22 publicações verifica-se a existência de:

  • Inéditos mundiais: 8
  • Inéditos em Portugal: 10
  • Reedições: 4

Eis as editoras das publicações identificadas:

  • Ala dos Livros: 1
  • ASA: 3
  • Bicho Carpinteiro: 1
  • Devir: 1
  • Escorpião Azul: 3
  • G. Floy: 2
  • GICAV: 1
  • Levoir: 2
  • Pato Lógico: 2
  • Salvat: 3
  • Serafim & Malacuéco: 1
  • Teorema: 1
  • Tinta da China: 1

Eis as respetivas capas (ordenadas alfabeticamente por editora):

Para esta análise não são contempladas reimpressões. Também não fazem parte desta análise as revistas e livros importados em língua francesa e na norma brasileira da língua portuguesa, distribuídos nos pontos de venda de periódicos.

Quanto à forma como o nosso Observatório contabiliza as edições mensais, tem em conta a primeira forma de comercialização da obra, independentemente do canal utilizado. Deste modo, edições comercializadas através do site ou das redes sociais de uma editora, bem como num dado evento, num determinado mês, são contabilizadas como publicadas nesse mês, independentemente do mês em que venha a ocorrer a eventual distribuição generalizada nos pontos de venda de periódicos ou livrarias.

Por fim, uma breve nota quanto às edições sobre BD. Não identificámos nenhuma destas publicações no mês de agosto.

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Após abril ter sido um marco pela ausência da publicação de banda desenhada portuguesa e em maio e junho terem sido editadas, respetivamente, 3 e 4 BD nacionais, em julho torna-se a dar uma diminuição, com somente 1 edição.

É curiosamente o mês de agosto aquele em que o país representado com maior quantidade de publicações é Portugal.

Graças a uma bem-sucedida campanha de crowdfunding, a Bicho Carpinteiro edita Random, uma BD escrita por um dos seus fundadores, Miguel Peres, e desenhada pelo brasileiro Marcus Aquino.

Quanto à Escorpião Azul, edita duas obras de autores portugueses nomeadamente o último volume da teratologia Ermal do autor Miguel Santos e Haverá um Amanhã?! de Véte.

A Pato Lógico edita mais duas narrativas da série Desconcetinas de André Letria, nomeadamente Dilema e Tempo.

A Tinta da China edita Balada para Sophie a banda desenhada mais recente do duo Filipe Melo e Juan Cavia.

Quanto à distribuição alternativa, o GICAV – Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu, em conjunto com a Câmara Municipal de Viseu e Viseu Marca, edita a adaptação de Santos Costa para banda desenhada da novela O Malhadinhas de Aquilino Ribeiro.

Por seu turno, a Serafim & Malacuéco Inc. continua a apostar nas comemorações do 1.º Centenário de Eduardo Teixeira Coelho, com o secto e último zine da série “Fandaventuras Especial” dedicado a O Caminho do Oriente, colorido por José Pires para a ocasião.

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Em agosto, a G. Floy iniciou duas séries – Stumptown de Greg Rucka e Matthew Southworth e Faithless de Brian Azzarello e Maria Llovet. Foi também em agosto que a Levoir iniciou a Novela Gráfica (VI série) com obras de diversos autores.

Para além destes lançamentos, 4 editoras prosseguiram as suas séries: a ASA com os últimos 3 volumes de Operação Overlord; a Devir com o 8.º volume de Platinum End; a Salvat com três volumes de Astérix: Coleção Integral; e a Teorema com o 4.º volume de O Árabe do Futuro.

Paralelamente, a Ala dos Livros editou New York Cannibals de Jerome Charyn e François Boucq, antecipando-se deste modo ao lançamento francófono.

Por fim, a Escorpião Azul publicou a obra do italiano Davide Garota O Último Sopro dos Mortos, autor pela primeira vez editado no nosso país.

O ANO DE 2020, ATÉ AO MOMENTO

Os primeiros dois quadrimestres de 2020

Adicionámos os números identificados em janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho e julho aos números obtidos em agosto, para caracterizar o ano editorial nos primeiros dois quadrimestres do ano de 2020.

Total:

  • 162 publicações de BD
    • janeiro: 24
    • fevereiro: 31
    • março: 21
    • abril: 10
    • maio: 14
    • junho: 22
    • julho: 18
    • agosto: 22

Subtotais:

  • Livros de BD com distribuição no canal livreiro e/ou bancas: 125
    • janeiro: 22
    • fevereiro: 27
    • março: 19
    • abril: 9
    • maio: 11
    • junho: 21
    • julho: 16
    • agosto: 19
  • Revistas de BD com distribuição no canal livreiro e/ou bancas: 1
    • janeiro: 1
    • fevereiro: 0
    • março: 0
    • abril: 0
    • maio: 0
    • junho: 0
    • julho: 0
    • agosto: 0
  • Publicações de BD com distribuição alternativa: 14
    • janeiro: 1
    • fevereiro: 4
    • março: 2
    • abril: 1
    • maio: 3
    • junho: 1
    • julho: 2
    • agosto: 3

Distribuição:

  • Canal livreiro: 126 (alguns dos quais, só foram ainda comercializados por contacto direto com a editora ou distribuídos em bancas ou em eventos)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 19
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 17

Cerca de 10% das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Formato:

  • Jornais: 0
  • Livros: 154
  • Revistas: 1
  • Outros (brochuras, etc): 7

Os livros correspondem a cerca de 95% das publicações de BD. Dos 154 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 102
  • Capa mole: 52

A encadernação em capa dura está presente em cerca de 66% dos livros de banda desenhada.

Cor de impressão:

  • Cores: 130
  • Preto: 32

A impressão do miolo a cores está presente em 80% das publicações de BD.

País de origem:

  • Alemanha: 2
  • Bélgica: 10
  • Brasil: 2
  • Canadá: 1
  • Espanha: 1
  • EUA: 53
  • França: 46
  • Itália: 4
  • Japão: 10
  • Portugal: 33

Nos primeiros dois quadrimestres de 2020, o país de origem mais representado são os EUA com 53 edições. Segue-se França com 46 edições. Caso se agregue França e Bélgica (56 edições), superam as 53 edições de material norte-americano. Portugal fica em 3.º lugar, com 33 edições. Destas publicações de material nacional, 13 publicações (39%) não tiveram nem terão distribuição para o grande público.

Editoras originais das 129 publicações de material estrangeiro:

  • Allary: 1
  • Andrews McMeel: 5
  • Astiberri: 1
  • Barba Negra: 1
  • Blue Ocean: 1
  • Boom: 1
  • Canterbury Classics: 1
  • Carlsen: 1
  • Casterman: 4
  • Crás: 1
  • Dargaud: 8
  • Dark Horse: 4
  • David Revoy: 1
  • DC Comics: 17
  • Delcourt: 1
  • Les Éditions Albert René: 19
  • Éditions Blake et Mortimer: 1
  • FLBLB: 1
  • Futuropolis: 1
  • Gallery 13: 1
  • Glénat: 11
  • Hachette: 2
  • Icon: 1
  • IDW: 2
  • Image: 9
  • King Features Syndicate: 1
  • Le Lombard: 4
  • Lucky Comics: 2
  • Marvel: 5
  • McClelland & Stewart: 1
  • McNaught Syndicate: 1
  • Oni: 1
  • Lo Scarabeo: 1
  • Scholastic: 1
  • Sergio Bonelli Editore: 2
  • Shueisha: 10
  • Tundra Books: 3
  • Tunué: 1

Do material estrangeiro, destaca-se a Les Éditions Albert René com direito a 19 edições, a DC Comics com 17 publicações, a Glénat com 11 edições e a Shueisha com 10 publicações.

Quinquénio da edição original:

  • 1945 – 1949: 3
  • 1950 – 1954: 2
  • 1960 – 1964: 3
  • 1965 – 1969: 5
  • 1970 – 1974: 2
  • 1975 – 1979: 1
  • 1980 – 1984: 2
  • 1985 – 1989: 4
  • 1985 – 1989: 2
  • 1990 – 1994: 2
  • 1995 – 1999: 5
  • 2000 – 2004: 5
  • 2005 – 2009: 8
  • 2010 – 2014: 13
  • 2015 – 2019: 69
  • 2020: 36

As edições originalmente publicadas no quinquénio 2015-2019 correspondem a 43% das publicações de banda desenhada. Cerca de 22% foram originalmente publicadas este ano.

Originalidade:

  • Inéditos mundiais: 30
  • Inéditos em Portugal: 96
  • Reedições: 36

As reedições correspondem a cerca de 22% das edições de banda desenhada nos primeiros dois quadrimestres de 2020 (no ano de 2019, as reedições corresponderam a 16% das obras editadas).

Publicações por editora: 

  • Ala dos Livros: 6
  • Arte de Autor: 7
  • ASA: 14
  • Bertrand: 1
  • Bicho Carpinteiro: 1
  • Bizâncio: 1
  • Blue Ocean: 1
  • Bubok: 1
  • Calçada das Letras: 1
  • Chili Com Carne: 2 ½ (3 publicações)
  • Devir: 14
  • Escorpião Azul: 6
  • FA: 2
  • G. Floy: 17
  • Gailivro: 1
  • GICAV: 1
  • Gradiva: 5
  • Kingpin: 2
  • Levoir: 20
  • Libri Impressi: 2
  • Liliana Maia (via Lulu): 1
  • Lovers & Lollypops: ½ (1 publicação)
  • Lucas Moreira (via Blurb): 2
  • Massacre: 1
  • Midori: 2
  • Nuvem de Letras: 9
  • Oficina do Livro: 2
  • Pato Lógico: 2
  • Planeta: 1
  • Planeta Tangerina: 2
  • Polvo: 2
  • Os Positivos: 1
  • Renato Abreu: 1
  • Salvat: 18
  • A Seita: 5
  • Serafim & Malacuéco Inc.: 3
  • Tágide: 1
  • Teorema: 1
  • Tinta da China: 1
  • Vogais: 1

Verifica-se então que, tal como nos 5 meses anteriores, a Levoir é o líder no segmento do mercado, com um total de 20 lançamentos. Quanto ao segundo lugar, é ocupado pela Salvat, com 18 publicações. Segue-se a G. Floy com 17 edições. A ASA e a Devir estão ex aequo em 4.º lugar, com um total de 14 lançamentos cada. O 6.º lugar pertence à Nuvem de Letras, com 9 publicações. Por fim, destaca-se a Arte de Autor, com 7 edições.

Edições sobre BD:

  • Câmaras Municipais: 0
  • Edições de autor: 1
  • Editoras especializadas em BD: 0
  • Organizações especializadas em BD: 5

Do total de 6 publicações sobre BD, nenhuma teve distribuição para o grande público.

No próximo mês, verificaremos se existirá um acréscimo ou não do número de edições de banda desenhada.


nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2020.
imagem: Painel de personagens de BD em azulejaria no Parque das Nações, Lisboa (© Bandas Desenhadas, agosto de 2020)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.