Os primeiros três trimestres de edição de banda desenhada em Portugal em 2020.

Foram as Feiras do Livro de Lisboa e Porto, aliadas à não realização do Amadora BD nem de outros grandes eventos diretamente ligados à BD? Foi o facto das editoras, dado as livrarias permanecerem abertas, passarem a considerar o quotidiano pandémico a nova normalidade? Foi uma execução do plano editorial após meses de adiamentos sucessivos devido à pandemia? Foi a rentrée editorial? Foram coincidências? A verdade é que setembro de 2020 é, até ao momento, o mês com o maior número de edições de banda desenhada, somente superado por fevereiro – curiosamente, o menor mês do ano – e as suas 34 publicações.

Deste modo, em setembro de 2020, identificou-se a edição de 29 publicações de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas). Das publicações distribuídas em setembro nos pontos de venda de periódicos, somente 2 têm ou terão como exclusividade este canal de distribuição. Todas as demais, têm concomitantemente ou terão posteriormente distribuição em livrarias.

Por outro lado, em setembro foram identificadas 5 publicações de BD com distribuição alternativa no nosso país, isto é, que não são distribuídas no canal livreiro a nível nacional nem em pontos de venda de periódicos. Conclui-se então que 17% das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Em resumo, quanto ao canal de distribuição:

  • Canal livreiro: 22 (alguns dos quais, só foram ainda comercializados por contacto direto com a editora ou distribuídos em bancas ou em eventos)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 2
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 5

Eis o número de publicações identificadas, segundo o formato:

  • Jornais: 0
  • Livros: 28
  • Revistas: 0
  • Outros (brochuras, etc): 1

Dos 28 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 18
  • Capa mole: 10

E a distribuição das 29 publicações por cor de impressão:

  • Cores: 22
  • Preto: 7

Das 29 publicações de setembro, o país de origem tem a seguinte distribuição:

  • Alemanha: 2
  • Bélgica: 1
  • Brasil: 1
  • EUA: 7
  • França: 6
  • Itália: 3
  • Japão: 2
  • Portugal: 7

A nível das 22 publicações de material estrangeiro, eis as editoras originais:

  • Andrews McMeel: 1
  • BeccoGiallo: 1
  • Cadú Simões: 1
  • Casterman: 1
  • Dark Horse: 3
  • Les Éditions Albert René: 2
  • Egmont: 2
  • Fusosha: 1
  • Glénat: 4
  • Image: 2
  • King Features Syndicate: 1
  • Milano Libri: 2
  • Shueisha: 1

Quanto ao quinquénio da edição original, as 29 publicações distribuem-se do seguinte modo:

  • 1965 – 1969: 1
  • 1970 – 1974: 1
  • 1975 – 1979: 1
  • 1985 – 1989: 1
  • 1995 – 1999: 2
  • 2005 – 2009: 3
  • 2010 – 2014: 2
  • 2015 – 2019: 8
  • 2020: 10

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 29 publicações verifica-se a existência de:

  • Inéditos mundiais: 7
  • Inéditos em Portugal: 16
  • Reedições: 6

Eis as editoras das publicações identificadas:

  • Arte de Autor: 2
  • ASA: 2
  • Chili Com Carne: 1
  • Devir: 2
  • FA: 1
  • Fojo / O Gorila: 1
  • G. Floy: 2
  • Gradiva: 1
  • Influência: 1
  • Levoir: 7
  • Libri Impressi: 1
  • Nuvem de Letras: 1
  • Os Positivos: 1
  • Saída de Emergência: 1
  • Salvat: 2
  • A Seita: 2
  • Umbra: 1

Eis as respetivas capas (ordenadas alfabeticamente por editora):

Para esta análise não são contempladas reimpressões. Também não fazem parte desta análise as revistas e livros importados em língua francesa e na norma brasileira da língua portuguesa, distribuídos nos pontos de venda de periódicos.

Quanto à forma como o nosso Observatório contabiliza as edições mensais, tem em conta a primeira forma de comercialização da obra, independentemente do canal utilizado. Deste modo, edições comercializadas através do site ou das redes sociais de uma editora, bem como num dado evento, num determinado mês, são contabilizadas como publicadas nesse mês, independentemente do mês em que venha a ocorrer a eventual distribuição generalizada nos pontos de venda de periódicos ou livrarias.

Por fim, uma breve nota quanto às edições sobre BD. Identificámos 1 publicação no mês de setembro, o n.º 80 de Juvebêdê, editada pela Juvemedia (apesar da data constante na capa referir-se ao mês de julho deste ano).

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Após abril ter sido um marco pela ausência da publicação de banda desenhada portuguesa e entre maio e julho terem sido editadas, respetivamente, 3, 4 e 2 BD nacionais, tinha sido em agosto que o seu número tinha aumentado para 8. Em setembro, há 7 edições originais no nosso país, apesar de 1 delas ser de um autor espanhol.

A ASA edita Rosa, Minha Irmã Rosa, a adaptação do romance de Alice Vieira por João Amaral.

Por seu turno, a Galeria Muncipal do Porto, em conjunto com a Chili Com Carne, coeditam o catálogo da exposição “Apesar de não estar, estou muito” de Diogo Jesus (aka Rudolfo), cujo split book inclui ainda a BD retirada dos 5 números de DJ Nobita Early Years 2002.

Outra coedição, desta vez da Fojo e O Gorila, é Diários do Corona, da autoria de Bruno Borges, que compila tiras publicadas pelo autor nas redes sociais a propósito da pandemia de COVID-19.

Quanto à chancela Influência, publica Diz Lá Beatriz, de Rita Fatela, baseando-se na página de instagram da autora.

Quanto ao autor anónimo d’ Os Positivos, edita o seu 3.º e último zine de 2020, intitulado Fartos, onde compila a BD publicada no seu site produzida durante os primeiros meses da pandemia de COVID-19.

A Umbra edita o segundo volume da sua antologia homónima, desta feita com trabalhos de Bárbara Lopes, Fernando Relvas, Filipe Abranches, Jorge Coelho e Pedro Moura, bem como de Simon Roy.

Por fim, registe-se a edição de O Neto do Homem Mais Sábio, uma biografia de José Saramago em banda desenhada, da autoria do espanhol Tomás Guerrero, com o apoio da Fundação José Saramago. A primeira edição da obra é portuguesa, pela Levoir.

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Em setembro, somente a Levoir iniciou 1 série estrangeira, em parceria com a RTP. Trata-se de Os Clássicos da Literatura em BD, da qual publicou os 3 primeiros volumes de diferentes autores.

Para além destes 3 lançamentos, 10 editoras prosseguiram as suas séries: a Arte de Autor com a publicação dos 7.º e 8.º volumes de Corto Maltese; a ASA com o seu 3.º livro de Stranger Things; a Devir com o 5.º volume de The Promised Neverland e mais um volume para a coleção Tsuru, desta vez de Masayuki Kusumi e Jiro Taniguchi; a G. Floy com o volume final de Descender; a Gradiva com mais um volume de A Sabedoria dos Mitos; a Levoir com mais 4 livros da Novela Gráfica (série VI); a Libri Impressi com o 17.º volume de Príncipe Valiente; a Nuvem de Letras com o seu 3.º volume de Big Nate; a Saída de Emergência com o 4.º volume de Monstress; a Salvat com mais 2 volumes de Astérix: Coleção Integral; e A Seita com o 2.º volume de Lucky Luke visto por…, desta feita da autoria de Mawil, em duas edições com capas distintas.

Por fim, a G. Floy editou Berserker Exilado, da autoria de Jeff Lemire e Mike Deodato Jr.

O ANO DE 2020, ATÉ AO MOMENTO

Adições a março e julho

Apesar do nosso trabalho desenvolvido todos os meses, identificámos 2 edições de banda desenhada, publicadas em meses anteriores, respetivamente em março e julho de 2020.

Em março, as Publicações Dom Quixote editaram Gravity Falls: Novela Gráfica volume 2, transposta da série de animação homónima.

Por seu turno, Rodolfo Mariano autoeditou o seu zine M. A. L. volume 00 em julho deste ano.

A adição desta obra à base de dados altera ligeiramente os dados previamente apresentados em meses anteriores, pelo que os números totais relativos aos 3 primeiros trimestres do ano já refletem esta adição.

O ANO DE 2020, ATÉ AO MOMENTO

Os 3 primeiros trimestres de 2020

Adicionámos os números identificados em janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho, julho e agosto aos números obtidos em setembro, para caracterizar o ano editorial nos primeiros 3 trimestres do ano de 2020.

Total:

  • 193 publicações de BD
    • janeiro: 24
    • fevereiro: 31
    • março: 22
    • abril: 10
    • maio: 14
    • junho: 22
    • julho: 19
    • agosto: 22
    • setembro: 29

Subtotais:

  • Livros de BD com distribuição no canal livreiro e/ou bancas: 169
    • janeiro: 22
    • fevereiro: 27
    • março: 20
    • abril: 9
    • maio: 11
    • junho: 21
    • julho: 16
    • agosto: 19
    • setembro: 24
  • Revistas de BD com distribuição no canal livreiro e/ou bancas: 1
    • janeiro: 1
    • fevereiro: 0
    • março: 0
    • abril: 0
    • maio: 0
    • junho: 0
    • julho: 0
    • agosto: 0
    • setembro: 0
  • Publicações de BD com distribuição alternativa: 23
    • janeiro: 1
    • fevereiro: 4
    • março: 2
    • abril: 1
    • maio: 3
    • junho: 1
    • julho: 3
    • agosto: 3
    • setembro: 5

Distribuição:

  • Canal livreiro: 149 (alguns dos quais, só foram ainda comercializados por contacto direto com a editora ou distribuídos em bancas ou em eventos)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 21
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 23

Cerca de 12% das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Formato:

  • Jornais: 0
  • Livros: 183
  • Revistas: 1
  • Outros (brochuras, etc): 9

Os livros correspondem a cerca de 95% das publicações de BD. Dos 183 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 121
  • Capa mole: 62

A encadernação em capa dura está presente em cerca de 66% dos livros de banda desenhada.

Cor de impressão:

  • Cores: 154
  • Preto: 39

A impressão do miolo a cores está presente em 80% das publicações de BD.

País de origem:

  • Alemanha: 4
  • Bélgica: 11
  • Brasil: 3
  • Canadá: 1
  • Espanha: 1
  • EUA: 61
  • França: 52
  • Itália: 7
  • Japão: 12
  • Portugal: 41

Nos primeiros 3 trimestres de 2020, o país de origem mais representado é os EUA com 61 edições. Segue-se França com 52 edições. Caso se agregue França e Bélgica (63 edições), superam as 61 edições de material norte-americano. Portugal fica em 3.º lugar, com 41 edições. Destas publicações de material nacional, 17 publicações (41%) não tiveram nem terão distribuição para o grande público.

Editoras originais das 152 publicações de material estrangeiro:

  • Allary: 1
  • Andrews McMeel: 6
  • Astiberri: 1
  • Barba Negra: 1
  • BeccoGiallo: 1
  • Blue Ocean: 1
  • Boom: 1
  • Cadú Simões: 1
  • Canterbury Classics: 1
  • Carlsen: 1
  • Casterman: 5
  • Crás: 1
  • Dargaud: 8
  • Dark Horse: 7
  • David Revoy: 1
  • DC Comics: 17
  • Delcourt: 1
  • Les Éditions Albert René: 21
  • Éditions Blake et Mortimer: 1
  • Egmont: 2
  • FLBLB: 1
  • Fososha: 1
  • Futuropolis: 1
  • Gallery 13: 1
  • Glénat: 15
  • Hachette: 2
  • Icon: 1
  • IDW: 2
  • Image: 11
  • Joe Comics: 1
  • King Features Syndicate: 2
  • Le Lombard: 4
  • Lucky Comics: 2
  • Marvel: 5
  • McClelland & Stewart: 1
  • McNaught Syndicate: 1
  • Milano Libri: 2
  • Oni: 1
  • Lo Scarabeo: 1
  • Scholastic: 1
  • Sergio Bonelli Editore: 2
  • Shueisha: 11
  • Tundra Books: 3
  • Tunué: 1

Do material estrangeiro, destaca-se a Les Éditions Albert René com direito a 21 edições, a DC Comics com 17 publicações, a Glénat com 15 edições e a Shueisha com 11 publicações.

Quinquénio da edição original:

  • 1945 – 1949: 3
  • 1950 – 1954: 2
  • 1960 – 1964: 3
  • 1965 – 1969: 6
  • 1970 – 1974: 3
  • 1975 – 1979: 2
  • 1980 – 1984: 2
  • 1985 – 1989: 5
  • 1985 – 1989: 2
  • 1990 – 1994: 2
  • 1995 – 1999: 7
  • 2000 – 2004: 5
  • 2005 – 2009: 11
  • 2010 – 2014: 15
  • 2015 – 2019: 78
  • 2020: 47

As edições originalmente publicadas no quinquénio 2015-2019 correspondem a 40% das publicações de banda desenhada. Cerca de 24% foram originalmente publicadas este ano.

Originalidade:

  • Inéditos mundiais: 38
  • Inéditos em Portugal: 113
  • Reedições: 42

As reedições correspondem a cerca de 22% das edições de banda desenhada nos primeiros 3 trimestres de 2020 (no ano de 2019, as reedições corresponderam a 16% das obras editadas).

Publicações por editora: 

  • Ala dos Livros: 6
  • Arte de Autor: 9
  • ASA: 16
  • Bertrand: 1
  • Bicho Carpinteiro: 1
  • Bizâncio: 1
  • Blue Ocean: 1
  • Bubok: 1
  • Calçada das Letras: 1
  • Chili Com Carne: 3 ½ (4 publicações)
  • Devir: 16
  • Dom Quixote: 1
  • Escorpião Azul: 6
  • FA: 3
  • Fojo / O Gorila: 1
  • G. Floy: 19
  • Gailivro: 1
  • GICAV: 1
  • Gradiva: 6
  • Influência: 1
  • Kingpin: 2
  • Levoir: 27
  • Libri Impressi: 3
  • Liliana Maia (via Lulu): 1
  • Lovers & Lollypops: ½ (1 publicação)
  • Lucas Moreira (via Blurb): 2
  • Massacre: 1
  • Midori: 2
  • Nuvem de Letras: 10
  • Oficina do Livro: 2
  • Pato Lógico: 2
  • Planeta: 1
  • Planeta Tangerina: 2
  • Polvo: 2
  • Os Positivos: 2
  • Renato Abreu: 1
  • Rodolfo Mariano: 1
  • Saída de Emergência: 1
  • Salvat: 20
  • A Seita: 7
  • Serafim & Malacuéco Inc.: 3
  • Tágide: 1
  • Teorema: 1
  • Tinta da China: 1
  • Umbra: 1
  • Vogais: 1

Verifica-se então que, tal como nos 6 meses anteriores, a Levoir é o líder no segmento do mercado, com um total de 27 lançamentos. Quanto ao segundo lugar, é ocupado pela Salvat, com 20 publicações. Segue-se a G. Floy com 19 edições. A ASA e a Devir estão ex aequo em 4.º lugar, com um total de 16 lançamentos cada. O 6.º lugar pertence à Nuvem de Letras, com 10 publicações. Por fim, destaca-se a Arte de Autor, com 9 edições.

Edições sobre BD:

  • Câmaras Municipais: 0
  • Edições de autor: 1
  • Editoras especializadas em BD: 0
  • Organizações especializadas em BD: 6

Do total de 7 publicações sobre BD, nenhuma teve distribuição para o grande público.


nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2020.
imagem: Painel de personagens de BD em azulejaria no Parque das Nações, Lisboa (© Bandas Desenhadas, setembro de 2020)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.