Abrir Fogo.

No dia 10 de julho deste ano, os portugueses tiveram acesso a mais uma estreia na Netflix baseada em banda desenhada. A longa-metragem A Velha Guarda (The Old Guard, no original) adaptava a BD homónima, com realização de Gina Prince-Bythewood e Charlize Theron como protagonista.

Este mês, a G. Floy edita a BD original, uma minissérie em 5 números criada por Greg Rucka (argumento) e Leandro Fernández (ilustrações), subintitulando-a Abrir Fogo. Originalmente, foi publicada pela Image nos EUA entre 22 de fevereiro e 21 de junho de 2017, tendo a compilação em livro sido publicada um mês após.

Registe-se que entre dezembro de 2019 e julho de 2020 foi publicada nos EUA uma segunda minissérie de 5 números, subintitulada Force Multiplied, a qual conheceu compilação em livro em setembro deste ano naquele país.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Este é um conto de fadas de sangue e balas…
É uma história sobre o tempo, e a idade, e as idades, sobre a amizade e o amor, e o arrependimento. É a história de duas mulheres e três homens que não podem morrer. A maioria das vezes. Os seus nomes são Andy, Nicky, Joe, Booker e Nile. São soldados, e a sua guerra não acabará nunca. Já estiveram em todo o lado, já viram de tudo e já combateram em quase todos os conflitos da história.
Durante séculos, mantiveram a sua existência secreta, sempre em movimento, de missão em missão. Mas, hoje em dia, as sombras já não são tão escuras, e eles estão a perceber que alguns segredos são impossíveis de guardar. E ninguém vai querer estar no caminho deles quando esses segredos forem revelados…

Greg Rucka é um escritor famoso de romances policiais e argumentista de banda desenhada. É fã de banda desenhada desde a mais tenra idade, e depois de ter trabalhado em inúmeros empregos de todo o género, atingiu o sucesso com a sua série de romances policiais protagonizados por Atticus Kodiak, um guarda-costas que acaba invariavelmente a resolver crimes, e de que escreveu até à data sete volumes. Rucka lançou-se nos comics em 1998 com Whiteout, um policial passado numa base perdida da Antárctida (com ilustrações de Steve Lieber), mais tarde adaptado ao cinema. Ao longo da década seguinte, Rucka trabalhou sobretudo para a DC Comics, assinando fases aclamadas da Wonder Woman ou da revista Detective Comics, para além da série Gotham Central (co-escrito com Ed Brubaker), uma das suas séries mais conhecidas. Nesses anos assinou também uma sequela de Whiteout, bem como as séries Queen & Country e Stumptown, sempre na Oni Press, que na altura editava os seus livros independentes. Mais recentemente, tendo continuado a escrever para a DC Comics (regressando há poucos anos à Mulher-Maravilha, por exemplo), Rucka tem também lançado várias séries suas na Image: Lazarus, Black Magick e A Velha Guarda.

Leandro Fernández é um ilustrador argentino de banda desenhada, conhecido pelos seus vários trabalhos para a Marvel, Image e Vertigo.
O seu percurso nos comics está recheado de grandes títulos como os da DC Vertigo: American Carnage (escrito por Bryan Hill), The Discipline e The Names (com Peter Milligan). Além disso, tem trabalhos como Northlanders: The Plague Widow; participou na série Punisher MAX com Garth Ennis, e muitas outras personagens populares da Marvel como Deadpool, Vingadores, Demolidor, Novos Mutantes, Hulk, etc. Da sua parceria com Greg Rucka destacam-se os trabalhos Wolverine: Coyote Crossing e Queen & Country: Crystal Ball, que foi nomeado aos prémios Eisner em 2004.

A Velha Guarda vol. 1: Abrir Fogo
Greg Rucka, Leandro Fernández
Editora: G. Floy
Páginas: 184, a cores
Encadernação: capa dura
Dimensões: 19 x 28 cm
ISBN: 978-83-66589-21-6
PVP: 18,00€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.