Análise ao filme.

Os Novos Mutantes é um bom filme, adulto, com bons atores, personagens e diálogos. Espanta-se que no IMDb (base de dados de filmes, séries e outros produtos) a nota seja atualmente de apenas 5,3 (em 10). O filme está designado como terror mas desengane-se quem pensa que é uma película em que se procura assustar o espetador. A obra foi ”vendida” como uma película deste género e tal talvez tenha frustrado alguns espetadores. E também quem quer uma longa-metragem em que os poderes dos mutantes seja o impulso da ação ficará desiludido, pois neste filme o que faz mover a ação são os problemas de crescimento e como estes se agravam quando se tem poderes que não se controla, os quais são mostrados principalmente na cena final em plena batalha.

Também se pode explicar a ausência de sucesso do filme com o facto de este ter sido lançado nos cinemas em plena pandemia (27 de agosto deste ano), após inúmeros adiamentos. Tinha sido planeado que o filme fosse lançado no dia 13 de abril de 2018, tendo a data de estreia sida adiada para 22 de fevereiro de 2019 e, mais tarde, 2 de agosto. A 7 de maio de 2019 foi novamente adiado, desta vez para 3 de abril de 2020 e a 13 de maio de 2020 foi difundido que o filme só sairia a 27 agosto.

O filme é baseado na equipa criada por Chris Claremont e Bob McLeod para a Marvel Comics, a qual se estreou no quarto número da série Marvel Graphic Novel, em 1982. Estes personagens surgiram quando Charles Xavier – mentor dos X-Men – decidiu criar um grupo de jovens para “alimentar” o grupo mais velho. A Marvel queria algo que pudesse simultaneamente corresponder aos desejos de um público mais novo e com histórias mais complexas.

O realizador da longa é Josh Boone, o qual realizou obras cinematográficas como A Culpa É das Estrelas e Encalhado no Amor. O elenco inclui Maisie Williams, Blu Hunt, Anya Taylor-Joy, Charlie Heaton, Henry Zaga e Alice Braga. Blu Hunt interpreta Danielle Moonstar, a personagem principal do enredo. Rahne Sinclair, uma mutante escocesa que se pode transformar em lobo, é interpretada por Maisie Williams, sobejamente conhecida pelo seu papel como Arya Stark na série A Guerra dos Tronos. O brasileiro Henry Zaga dá vida a Mancha Solar, enquanto que Charlie Heaton interpreta o papel de Míssil, personagem que torna o seu corpo invulnerável após projetar-se no ar. Por fim, Anya Taylor-Joy é a derradeira integrante da equipa e dá corpo a Magia, enquanto Alice Braga interpreta Cecilia Reyes, uma médica que também é mutante e que tem a capacidade de criar campos de força.

A película começa com a jovem Danielle “Dani” Moonstar a fugir do que ela acha que é um tornado que vitima o seu pai e destrói a reserva índia onde vive. Na cena seguinte, ela aparece numa cama de hospital algemada à sua cama. A trama desenvolve-se com os maiores medos a materializarem-se perante os olhos dos adolescentes, sendo que não se tratam apenas de visões mas sim manifestações físicas. Essas materializações devem-se ao poder de Danielle Moonstar, que nem se apercebe do que está a fazer, pois não tem noção das suas capacidades.

A cena final é a luta entre os jovens e o “urso místico”, a entidade poderosa e misteriosa que faz parte dos “medos” de Moonstar e o grande vilão do filme. O urso apareceu pela primeira vez no 3.º número da revista The New Mutants (1.ª série), publicada em maio de 1983, com argumento de Claremont e ilustrações de Bill Sienkiewicz. A jovem não faz ideia de que aquele monstro se podia materializar, acreditando tratar-se somente de um elemento dos seus pesadelos. Esta entidade tem como poderes a força, a transmutação e a capacidade de teleporte.

Quanto ao cerne deste filme de “origens”, é a demanda dos adolescentes em controlar os seus poderes que os leva a um centro de pesquisa dirigido pela doutora Cecilia Reyes. No entanto, no desenrolar do filme, vê-se que este centro é algo mais do que apenas um lugar no qual podem aprender a controlar e dirigir o seu potencial…

Fica a sugestão!

SOBRE O AUTOR |

Paulo Pereira
Paulo Pereira
Apaixonado por BD, o seu livro preferido é “Maus” e tem mais livros que amigos (embora goste de amigos). Também acha que alguém devia erguer uma estátua ao Alan Moore. Dá-lhe muito prazer ver séries e filmes baseados nas mais variadas bandas desenhadas.