O quarto título da série Rubi da Chili Com Carne.

Tiago Manuel tem-se dedicado à publicação de 50 livros de 25 heterónimos nas mais diferentes áreas (ilustração de autor, banda desenhada, humor negro, histórias infantis, romance gráfico, diários ilustrados com fotografias e pinturas, teatro, literatura policial, moda e cinema), entre os quais se incluem os autores Terry Morgan, Murai Toyonobu, Tom McCay, Tim Morris, Mariette Tosel, Tamayo Marín, Max Tillman e Tilda Markström.

No entanto, esta obra é assinada em nome próprio, sendo inspirada pelo universo de Yukio Mishima (三島由紀夫), pseudónimo do japonês Kimitake Hiraoka (平岡公威), nascido em 14 de janeiro de 1925 e falecido em 25 de novembro de 1970. Aliás, a data escolhida para o lançamento da obra foi precisamente a efeméride dos 50 anos do seu suicídio.

Romancista, ensaísta e dramaturgo, Mishima, aos 24 anos, foi imediatamente consagrado como um mais importantes autores japoneses do pós-guerra com a sua primeira obra, Confissões de uma Máscara, um romance autobiográfico que serve de base a este álbum de Tiago Manuel, Mishima: Manifesto de Lâminas.

Este Manifesto é a transposição para livro da exposição homónima de Tiago Manuel integrada no Ciclo Mishima, Um Esboço do Nada, patente há 12 anos, entre 17 de novembro a 14 de dezembro de 2008, no Centro Cultural de Belém, no qual se realizaram diversas atividades, como teatro, dança, exibições de adaptações cinematográficas, leitura encenada e de correspondência, oficina de caligrafia japonesa ou workshop de butô, entre outras.

O livro conta ainda com um artigo de António Mega Ferreira.

Foram impressos 700 exemplares deste livro, dos quais 100 exemplares oferecem uma reprodução de uma imagem do livro em risografia, assinada e numerada pelo autor. Foram impressas 25 cópias de quatro imagens diferentes no atelier Desisto.

Entretanto, a editora já deu a conhecer os próximos dois títulos da coleção Rubi, planeados para serem lançados em 2021: Viagem de Yuichi Yokoyama e Gente Remota de Francisco Sousa Lobo.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Lançado a 25 de Novembro de 2020, 50 anos depois de depois de Yukio Mishima (三島由紀夫 ) se suicidar a 25 de Novembro de 1970 – dia e mês coincidentes com o início da escrita de Confissões de uma Máscara (1949) – eis que lançamos a primeira obra inédita na colecção.
Este “Manifesto” é fruto de uma exposição de trabalhos de Tiago Manuel na sala Mário Cesariny durante o Ciclo Mishima – Um Esboço do Nada, entre 17 de Novembro e 14 de Dezembro de 2008 no Centro Cultural de Belém. 
O trabalho que se publica neste volume é um dos dois livros que o artista escolheu do universo mishimiano, nomeadamente Confissões de uma Máscara. Dele, segundo João Paulo Cotrim, “fez as lâminas de uma tesoura que esventra a obra, não para a destruir, mas para a homenagear fazendo-a sangrar imagens. Valha-nos S. Sebastião, o do tronco nu em oferenda mística às setas do mundo! (…) Mishima desenhou com a própria carne uma afiado manifesto contra a vulgaridade. Não o do fim, mas o outro, o primordial, revelado por estas imagens: um sabre de palavra.”
Obra que abrirá guerras entre os puritanos da Banda Desenhada e do Desenho Conceptual, esta edição inclui o texto “Visões de Mishima” assinado por António Mega Ferreira, entretanto publicado no livro Mais que mil imagens (Sextante; 2020).

Tiago Manuel (Viana do Castelo, 1955) fez a sua formação artística com os mestres Aníbal Alcino e Júlio Resende. A sua obra tem sido apresentada no país e no estrangeiro em instituições e galerias de referência. Foi premiado várias vezes. É desde 2013 o responsável pela direção artística e organização das exposições temporárias dedicadas aos artistas ilustradores, um projeto de Rui Faria Viana, para a Biblioteca Municipal de Viana do Castelo. É diretor artístico da BIG – Bienal de Ilustração de Guimarães, um projeto cultural da Câmara Municipal de Guimarães, criado em 2017 em coautoria com Rui Bandeira Ramos. 
Algumas exposições individuais: Galeria Abysmo, Lisboa, 2014; “Mishima, Manifesto de Lâminas”, Centro Cultural de Belém, Lisboa, 2008; Galeria Spectrum Sotos, Saragoça, 2008; Galeria Palmira Suso, Lisboa, 2007; Lugar do Desenho, Fundação Júlio Resende, Gondomar, 2002. Algumas coletivas: “Sem Consenso”, Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira, 2015; Annual Comic and Cartoon Art Competition, Society of Illustrators, Nova Iorque, 2014; Arco, Casa da Cerca, Almada, 2008 – Prémio Stuart, Lisboa, 2007, 2006, 2004; Salão Lisboa de Ilustração e Banda Desenhada (Bedeteca de Lisboa / Câmara Municipal de Lisboa), 2004, 2002, 2001, 2000. Na qualidade de ilustrador publicou nos jornais Público, Expresso, Jornal de Letras, Letras & Letras, O Diário Jornal Cultural Postas de Pescada, nas revistas Colóquio/Letras da Fundação Calouste Gulbenkian, Ler – Círculo de Leitores, Cão Celeste, Intervalo, Bestiário e Torpor e nas editoras Âmbar, ASA, Afrontamento, Media Vaca (Valência), Bertrand, Abysmo, entre outras.  Últimos trabalhos: “O sangue por um fio”, livro de poesia de Sérgio Godinho, Assírio & Alvim, Lisboa, 2009; 40 desenhos para o site do filme “As 1001 Noites” de Miguel Gomes, 2013/ 2014; cartaz para o filme “Gambozinos” de João Nicolau, Quinzaine des Realizateurs, Cannes, 2013; cartaz para o filme “Ruínas” de Manuel Mozos, Festival IndieLisboa, 2009. Desde 2000, já publicou 10 dos seus 25 heterónimos (19 livros). Em 2008, criou e passou a dirigir a coleção de banda desenhada O Filme da minha Vida, editada pela Associação de Produção e Animação Audiovisual AO NORTE, Viana do Castelo.

Mishima: Manifesto de Lâminas
Tiago Manuel
Editora: Chili Com Carne
Páginas: 128, a 4 cores
Encadernação: rústica, com sobrecapa
PVP: 15,00€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.
Últimos artigos