A edição de banda desenhada em Portugal no último mês de 2020.

Com muitas editoras a encerrar o seu plano editorial em novembro e a ausência de certames especializados em banda desenhada, aguardava-se uma diminuição do número de lançamentos em dezembro, o que se verificou. É com satisfação que editores e livreiros viram chegar o final de 2020, cientes, contudo, que 2021 não será ainda o ano porque todos ansiavam, mas esperançosos que a pandemia de COVID-19 tenham menos repercussões no novo ano.

Deste modo, em dezembro de 2020, identificou-se a edição de 14 publicações de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas). Das publicações distribuídas em novembro nos pontos de venda de periódicos, somente 2 têm ou terão como exclusividade este canal de distribuição. Todas as demais, têm concomitantemente ou terão posteriormente distribuição em livrarias.

Por outro lado, em outubro foram identificadas 4 publicações de BD com distribuição alternativa no nosso país, isto é, que não são distribuídas no canal livreiro a nível nacional nem em pontos de venda de periódicos. Conclui-se então que 29% das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Em resumo, quanto ao canal de distribuição:

  • Canal livreiro: 8 (alguns dos quais, só foram ainda comercializados por contacto direto com a editora ou distribuídos em bancas ou em eventos)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 2
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 4

Eis o número de publicações identificadas, segundo o formato:

  • Jornais: 0
  • Livros: 13
  • Revistas: 0
  • Outros (brochuras, etc): 1

Dos 13 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 9
  • Capa mole: 4

E a distribuição das 14 publicações por cor de impressão:

  • Cores: 10
  • Preto: 4

Das 14 publicações de dezembro, o país de origem tem a seguinte distribuição:

  • EUA: 3
  • França: 6
  • Japão: 1
  • Portugal: 3
  • Reino Unido: 1

A nível das 11 publicações de material estrangeiro, eis as editoras originais:

  • Daily Mirror: 1
  • Delcourt: 1
  • Les Éditions Albert René: 2
  • Glénat: 2
  • Les Humanoïdes Associés: 1
  • Image: 2
  • Oni: 1
  • Shueisha: 1

Quanto ao quinquénio da edição original, as 14 publicações distribuem-se do seguinte modo:

  • 1965 – 1969: 1
  • 1975 – 1979: 2
  • 2005 – 2009: 2
  • 2010 – 2014: 1
  • 2015 – 2019: 3
  • 2020: 5

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 14 publicações verifica-se a existência de:

  • Inéditos mundiais: 3
  • Inéditos em Portugal: 8
  • Reedições: 3

Eis as editoras das publicações identificadas:

  • André Morgado: 1
  • Arte de Autor: ½ 
  • ASA: 2
  • Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto: 1
  • Devir: 2
  • G. Floy: 3
  • Salvat: 2
  • A Seita: ½ 
  • Serafim & Malacuéco, Inc.: 1
  • Tentáculo: 1

Eis as respetivas capas (ordenadas alfabeticamente por editora):

Para esta análise não são contempladas reimpressões. Também não fazem parte desta análise as revistas e livros importados em língua francesa e na norma brasileira da língua portuguesa, distribuídos nos pontos de venda de periódicos.

Quanto à forma como o nosso Observatório contabiliza as edições mensais, tem em conta a primeira forma de comercialização da obra, independentemente do canal utilizado. Deste modo, edições comercializadas através do site ou das redes sociais de uma editora, bem como num dado evento, num determinado mês, são contabilizadas como publicadas nesse mês, independentemente do mês em que venha a ocorrer a eventual distribuição generalizada nos pontos de venda de periódicos ou livrarias.

Por fim, uma breve nota quanto às edições sobre BD. Em dezembro de 2020, identificámos uma publicação com direito a duas capas diferentes. Trata-se da Revista do Clube Tex Portugal #13.

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Apesar do diminuto número de publicações em dezembros, 3 delas são de autores nacionais.

Com organização de André Morgado, a antologia nacional Virar a Página apresenta cerca de 4 dezenas de BD curtas, tendo como objetivo ser parte cativa do apoio da Acão social da Associação CAIS. Contou com dezenas de participantes, incluindo A. S., Alberto Pereira, Alexandra Sousa, Ana Monteiro,  André F. Morgado, André Mateus, André Oliveira, Bárbara Lopes, Beatriz Blodau, Carla Rodrigues, Carlos Drave, Carlos Martins, Daniel Maia,  Daniel Silva Lopes, Dário Lucas, Diana David, Diogo Almeida, Diogo Carvalho, Diogo Campos, Diogo Semedo, Filipe Duarte, Filipe Pina, GEvan, Guilherme Trindade, Henrique Gandum, Inês Barroso, Inês Silva, Joana Afonso, João Inglês, João Sequeira, Jorge Coelho, Kachisou, Katiurna, Liliana Gaito, Lucas Benetti,  Luís Guerreiro,  Marco Fraga da Silva,  Maria Lima,  Mário Freitas, Miguel Peres, Nuno Dias, Nuno Duarte, Osvaldo Medina, Patrícia Costa, Patrick Caetano, Paulo Monteiro, Paulo Pinto, Pedro Moura, Pedro Reis, Pedro Santos,  Pedro Serpa, Quico Nogueira,  Rafael Marques, Rafael Sales, Rafael Sanzio, Ricardo Andrade, Ricardo Baptista, Ricardo Santo, Rodrigo Mota, Ronald Kaiser, Rui Cunha, Rui Soares, Rui Tomás, Sérgio Santos, Susa Monteiro, TCHE e Telmo Freitas.

Quanto à Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, mantém o seu hábito anual de apostar na banda desenhada enquanto meio cultural para dinamizar diferentes equipamentos da autarquia. Desta feita, a obra de BD intitula-se Sofia, a Ovelha Mimosa e a Casa de Lã, contando com argumento de Fátima Magalhães e ilustrações de Mário José Teixeira.

Por fim, a Associação Tentáculo edita Please Be Nice to Me e outras estórias de Xico Santos.

Registe-se que a totalidade destas obras portuguesas não conhece distribuição nem para os pontos de venda de periódicos nem para as livrarias.

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Em dezembro, uma editora iniciou uma nova série. A ASA começou a publicação de Rio, da autoria da Louise Garcia e Corentin Rouge, lançando os primeiros 2 volumes.

Quanto à Arte de Autor, realizou a sua primeira coedição com A Seita, traduzindo-se na publicação integral de Shangai Dream, com argumento do francês Philippe Thirault e desenhos do português Jorge Miguel

A Devir reforçou a sua aposta no autor Guy Delisle com a edição de Crónicas da Birmânia.

A G. Floy reforçou também a aposta num duo de autores, Ed Brubaker e Sean Phillips, com o lançamento de Pulp.

Paralelamente, 4 editoras prosseguiram as suas séries: a Devir com o 36.º volume de Naruto; a G. Floy com o 4.º volume de Gideon Falls e o 2.º volume de Stumptown; a Salvat com mais dois volumes de Astérix: Coleção Integral; e a Serafim e Malacuéco com mais uma publicação dedicada a Garth.

ADIÇÕES A NOVEMBRO

Entretanto, identificámos 2 publicações de BD e 2 publicações sobre BD lançadas em novembro, que ainda não tinham sido contabilizadas anteriormente.

No que toca às edições de banda desenhada, referimo-nos a Homem-Cão vol. 6: O Grito Selvagem de Dav Pilkey (editada pela Marcador) e Gente (con)Fina(dada) é Outra Coisa de Zépestana (editada pela Sítio do Livro).

Quanto às edições sobre BD de novembro, curiosamente ambas apresentam na capa a data de setembro. Referimo-nos ao Boletim do Clube Português de Banda Desenhada #152 e Juvebêdê #81.

Entretanto, já adicionámos à nossa base de dados estas obras, pelo que já serão contempladas na nossa análise estatística anual, a publicar oportunamente.


nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2020.
imagem: Painel de personagens de BD em azulejaria no Parque das Nações, Lisboa (© Bandas Desenhadas, dezembro de 2020)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.