O primeiro mês editorial de banda desenhada em Portugal no ano 2021.

Janeiro de 2021 não foi complacente. Eliminou as esperanças de leitores, editores e livreiros que desejassem proferir ano novo, vida nova. Não só as consequências da pandemia continuam a se manifestar, como o pior mês da epidemia de COVID-19 em Portugal ditou novo confinamento. E, se o mercado livreiro inicialmente se preparava para reagir com as vendas ao postigo, adaptando-se à realidade que vivenciamos, rapidamente essa opção foi impossibilitada com um aumento de restrições, que, inclusivamente, proíbe a venda de livros nos hipermercados.

No que toca à banda desenhada, tal originou que o lançamento de algumas obras fosse adiado por diversas editoras, incluindo uma BD cujo lançamento ainda anunciámos, Hearstopper, mas que ainda não foi disponibilizada pela Cultura Editora.

Deste modo, o número de lançamentos desceu para números semelhantes aos de maio do ano passado, o mês com 2.º menor número de publicações em 2020. E, se não ocorreu um número idêntico ao de abril de 2020 – o mês com o menor número de edições de sempre -, foi graças às publicações com distribuição alternativa, responsáveis por cerca de 27% das edições contabilizadas em janeiro de 2021.

De qualquer modo, em janeiro de 2021 identificou-se a edição de 15 publicações de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas). Destas, somente 2 têm ou terão como exclusividade os pontos de venda de periódicos como canal de distribuição. As restantes publicações distribuídas nesse canal têm concomitantemente ou terão posteriormente distribuição em livrarias.

Por outro lado, em janeiro foram identificadas 4 publicações com distribuição alternativa, isto é, publicações de BD que não são distribuídas no canal livreiro nem em pontos de venda de periódicos Conclui-se então que cerca de 27% das publicações identificadas não teve nem terá distribuição para o grande público.

Em resumo, quanto ao canal de distribuição:

  • Canal livreiro: 9 (alguns dos quais, só foram ainda distribuídos em bancas ou por outras vias)
  • Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 2
  • Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 4

Comparativamente com os anos anteriores, verificou-se em janeiro:

  • 2020: 21 publicações (19 no canal livreiro, 2 nas bancas com exclusividade e 0 com distribuição alternativa)
  • 2019: 14 publicações (8 no canal livreiro, 0 nas bancas com exclusividade e 6 com distribuição alternativa);
  • 2018: 20 publicações (8 no canal livreiro, 7 nas bancas com exclusividade e 5 com distribuição alternativa)
  • 2017: 23 publicações (4 no canal livreiro, 11 nas bancas com exclusividade e 8 com distribuição alternativa)

Na verdade, apesar de qualquer estatística com poucos números não ter grande significado, há dois factores que, sem dúvida, contribuem com um peso considerável para a existência de um maior ou menor número de publicações distribuídas em cada um dos meses – por um lado, a publicação ou não de séries de BD exclusivas dos pontos de vendas de periódicos, seja em livro seja em revista; por outro lado, a publicação ou não de séries com periodicidade semanal ou quinzenal em conjunto com periódicos. Apesar de tal ser evidente na comparação entre janeiro de 2017 e 2019, reforcem-se estes dados com outros mais antigos:

  • 2015: 22 publicações (10 no canal livreiro, 9 nas bancas com exclusividade e 3 com distribuição alternativa)
  • 2014: 25 publicações (11 no canal livreiro, 12 nas bancas com exclusividade e 2 com distribuição alternativa)

Regressando ao mês de janeiro de 2021, eis o número de publicações identificadas, segundo o formato:

  • Jornais: 1
  • Livros: 12
  • Revistas: 0
  • Outros (brochuras, etc): 2

Dos 12 livros, eis a distribuição por tipo de encadernação:

  • Capa dura: 5
  • Capa mole: 7

E a distribuição por cor de impressão:

  • Cores: 11
  • Preto: 4

Das 15 publicações de janeiro, o país de origem tem a seguinte distribuição:

  • Bélgica: 1
  • EUA: 1
  • França: 5
  • Itália: 1
  • Portugal: 5
  • Japão: 2

A nível das 10 publicações de material traduzido, eis as editoras originais:

  • Anonima Veritas Editrice (AVE): 1
  • Casterman: 1
  • David Revoy: 1
  • Les Éditions Albert René: 2
  • Glénat: 2
  • Shueisha: 2
  • Turner Broadcasting System: 1

Quanto ao quinquénio da edição original, as 15 publicações distribuem-se do seguinte modo:

  • 1950 – 1954: 1
  • 1965 – 1969: 1
  • 1970 – 1974: 1
  • 2010 – 2014: 2
  • 2015 – 2019: 4
  • 2020 – 2021: 6

Refira-se que 5 publicações foram originalmente publicadas em 2021.

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 15 publicações verifica-se a existência de:

  • Inéditos mundiais: 7
  • Inéditos em Portugal: 6
  • Reedições: 2

Eis as editoras das publicações identificadas:

  • Âncora: 2
  • Arte de Autor: 1
  • ASA: 2
  • Booksmile: 1
  • Devir: 2
  • FA: 1
  • Francisco Sousa Lobo: 2
  • RKComics: 1
  • Salvat: 2
  • Serafim & Malacuéco, Inc.: 1

Verifica-se então que, em janeiro, a Âncora, ASA, Devir e Salvat foram as editoras que mais publicaram banda desenhada (2 publicações cada), em conjunto com as autoedições de Francisco Sousa Lobo.

Eis as respetivas capas, ordenadas alfabeticamente por editora:

Para esta análise não são contempladas reimpressões. Também não fazem parte desta análise as revistas e livros importados em língua francesa e na norma brasileira da língua portuguesa, distribuídos nos pontos de venda de periódicos.

Quanto à forma como o nosso Observatório contabiliza as edições mensais, tem em conta a primeira forma de comercialização da obra, independentemente do canal utilizado. Deste modo, edições comercializadas através do site ou das redes sociais de uma editora, bem como num dado evento, num determinado mês, são contabilizadas como publicadas nesse mês, independentemente do mês em que venha a ocorrer a eventual distribuição generalizada nos pontos de venda de periódicos ou livrarias.

Por fim, uma breve nota quanto às edições sobre BD. Em janeiro de 2021, não se identificou nenhuma publicação deste género.

AUTORES PUBLICADOS EM JANEIRO

Os autores nacionais publicados em janeiro foram Francisco Sousa Lobo, José Ruy e Rafael Marques com Katiurna.

Quanto às publicações de origem estrangeira, janeiro contou com obras de David Revoy, Giulio Ferrari, Kaiu Shirai com Posuka Demizu, Kazue Kato, Louise Garcia com Corentin Rouge, René Goscinny com Uderzo e Xavier Dorison com Félix Delep.


nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2021.

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.