Novo livro da coleção Imagens que Contam.

A Pato Lógico tem duas coleções nas quais edita obras de banda desenhada muda (i.e., sem texto), a Desconcertinas com os desdobráveis de André Letria e a Imagens que Contam. Esta última surgiu em 2013 como um espaço de liberdade criativa para artistas visuais, em que cada convidado é desafiado a imaginar uma narrativa contada exclusivamente através de imagens. No seu conjunto, a coleção conta com dois primeiros prémios e três menções especiais do Prémio Nacional de Ilustração, bem como 3 entradas na nossa Leitura Recomendada da década de 2010.

Discórdia, da autoria de Nani Bruni, é o nono livro da coleção, seguindo-se a obras de Marta Monteiro (Sombras), André da Loba (Bestial), Catarina Sobral (Vazio), Afonso Cruz (Capital), Bernardo P. Carvalho (Verdade?!), João Fazenda (Dança), Teresa Cortez (Balbúrdia), Jaime Ferraz (Máquina) e Susa Monteiro (Sonho).

Discórdia nasceu de um trabalho do curso de ilustração do Centro de Arte & Comunicação Visual Ar.Co, lecionado desde 2019 por Catarina Sobral e Tiago Guerreiro, com a orientação de André Letria, editor do Pato Lógico. Um dos exercícios do curso era, precisamente, a criação de uma narrativa visual para a coleção de livros silenciosos Imagens Que Contam.

Segundo a autora Nani Brunini, “antes de me mudar para Portugal, em 2018, eu morei em São Francisco, EUA. Como brasileira, presenciei bem de perto as transições para Trump e Bolsonaro. Tendo morado em Londres, também não escapei do Brexit. Vi muita gente quebrando amizades de longa data e se afastando da família por brigas políticas. Era impossível fugir do assunto — redes sociais, conversas com motoristas de Uber, etc. A ideia do livro surgiu desse incómodo — principalmente depois de me dar conta de que eu, a minha própria família e outras pessoas queridas, cuja opinião eu respeito, estávamos em lados opostos.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Discórdia é uma narrativa visual sobre a polarização de opiniões no mundo actual e a necessidade de criar pontes de entendimento que nos ajudem a viver em comunidade. Tudo começa com uma pequena divergência, que sobe de tom numa escalada ensurdecedora, arrastando partidários intransigentes de ambos os lados, até se tornar uma disputa insanável em que não há argumentos que resistam. Ganha quem grita mais alto ou será que perdem todos? Discórdia é um livro para quem está cansado de gritaria e assinala a estreia de Nani Brunini como autora.

Nani Brunini (São Paulo, Brasil, 1976)
Antes de se mudar para Lisboa, onde vive atualmente, morou em Manheim, Helsínquia, Londres e São Francisco. Estudou Artes Plásticas na Universidade de São Paulo e Design Industrial na Universidae Federal de Pernambuco (UFPE), no Recife. Fez mestrado em Design Management na Universidade de Cambridge, em Inglaterra. Depois de 10 anos a trabalhar com pesquisa e estratégia em design, em agências como a TBWA, em Helsínquia, e a Samsung, em Londres, deixou de lado os powerpoints e voltou aos pincéis e lápis de cor. Desde então, tem ilustrado posters, embalagens, ícones e websites. Nani sempre foi a mais alta da turma e tem uma obsessão moderada por materiais de papelaria e plantas.  Em 2020, foi convidada a publicar o seu primeiro livro (Discórdia), fruto de um curso realizado na escola de artes Ar.Co., lecionado por Catarina Sobral e Tiago Guerreiro, com a orientação de André Letria, editor do Pato Lógico. Um dos exercícios do curso era, precisamente, a criação de uma narrativa visual para a coleção de livros silenciosos Imagens Que Contam.

Discórdia
Nani Brunini
Editora: Pato Lógico
Ano: 2021
Páginas: 32, a cores
Encadernação: capa dura
Dimensões: 200 x 257 mm
ISBN: 9789895473823
PVP: 13,50€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.
Últimos artigos