Nova série de Tex.

Apesar de Tex ter sido criado no distante ano de 1948 por Gianluigi Bonelli e Aurelio Galleppini (vulgo, Galep) e ser ainda, passados 73 anos, o personagem mais popular da editora italiana Bonelli, a primeira vez que foi publicado em Portugal foi somente em 2006, com o oitavo número da Série Ouro d’Os Clássicos da Banda Desenhada, distribuído com o jornal Correio da Manhã, no qual os leitores puderam ler na norma europeia da língua portuguesa a segunda aventura de Tex contra Mefisto, a cores, com argumento de Gianluigi Bonelli e desenhos de Galep. Desde então, tem tido diversas bandas desenhadas publicadas no nosso país pela Polvo e pela Levoir.

Uma das novidades de 2021 é A Seita se tornar a quarta editora portuguesa a editar Tex, mais concretamente a série Tex Romanzi a Fumetti. Iniciada em fevereiro de 2014 com uma periodicidade anual, em 2016 passou a ser publicada semestralmente, tendo até ao momento sido editados 12 álbuns. Atendendo à tradição em Portugal de adquirir bandas desenhadas de Tex editadas no Brasil – aliás, seria a sua importação ao longo de décadas que tornaria o personagem conhecido dos portugueses antes da sua primeira edição nacional -, informa-se que no Brasil a série Tex Romanzi a Fumetti é editada pela Mythos na sua série Tex Graphic Novel, a qual não foi importada para Portugal.

Cada estória original desta série italiana, ao contrário de se aproximar da habitual centena, tem normalmente 38 a 46 páginas, apesar do volume 12 apresentar 52 páginas. Outra característica desta série, são as dimensões maiores, próximas do formato franco-belga (ao contrário das dos habituais fumetti da Bonelli) e a colorização das estórias. Para além das estórias originais, na série italiana também têm sido republicadas estórias antigas, nomeadamente no vol. 5 (com uma BD de Gianluigi Bonelli e Galep, publicada originalmente em 1971) e no vol. 10 (com uma BD de Gianluigi Bonelli e Giovanni Ticci, publicada originalmente em 1977).

Dado ser constituída por estórias independentes, a publicação da série no nosso país não respeita a cronologia da série italiana. Deste modo, o primeiro volume publicado é A Chicotada (La Frustata, no original), o 11.º (e penúltimo, até ao momento) volume da série italiana, datado de setembro de 2020 (que corresponde ao Tex Graphic Novel #9 da Mythos, com o mesmo título, editado em dezembro passado). Tem argumento de Pasquale Ruju (o argumentista da BD Tempestade sobre Galveston na coleção Tex Romance Gráfico da Polvo) e ilustrações de Mario Milano (autor inédito no nosso país). Neste primeiro volume da série portuguesa, simplesmente denominada Tex, os leitores poderão constatar que, atendendo ao menor número de páginas das habituais aventuras de Tex, o ritmo narrativo acelera-se e a planificação da página é menos rígida e mais dinâmica, jogando com as maiores dimensões da página.

Registe-se que a edição portuguesa foi enriquecida com um desenho original de Tex, feito propositadamente por Mario Milano, bem como entrevistas aos autores e estudos de capas.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

No rosto e nas memórias de Diego Portela, encontram-se cravadas as marcas do suplício sofrido às mãos de Don Alvarado. Agora que chegou a hora da vingança, o seu caminho vai cruzar-se com o de Tex Willer que, acompanhado por Kit Carson, se encontra no México no rastro de um grupo de traficantes.
Nesta colecção, alguns dos maiores desenhadores da BD italiana e mundial têm oportunidade de desenhar Tex em histórias criadas expressamente para a cor e para o formato mais ambicioso dos álbuns de BD franco-belga.

Nascido em 1962, Pasquale Ruju entra na equipa de autores de Dylan Dog em 1995, escrevendo um curto episódio, e estreia-se na série mensal em maio de 1997 com Il richiamo della foresta”, desenhado por Luigi Piccatto. Em seguida, escreve para Nathan Never, Martin Mystère e Tex, série onde se irá estrear em 2004. Firma-se na série a partir de 2010 com a aventura La prova del fuoco”, desenhada por Ernesto García Seijas. Desde há uns anos, é um dos autores mais prolíficos de Tex. Em 2016, publica para as Edizioni E/O o seu primeiro romance, Un caso come gli altri, que se torna finalista do Premio Scerbanenco (que distingue o melhor policial publicado em cada ano em Itália) em 2016. Em 2017 e 2018 escreve, ainda para as Edizioni E/O, os romances Nero di mare e Stagione di cenere, ambos protagonizados pelo repórter Franco Zanna.

Mario Milano nasceu em Foggia em 1968. Depois da licenciatura, alterna a sua atividade de cenógrafo com a de autor de banda desenhada. A sua estreia propriamente dita ocorre em 1994, quando Milano começa a colaborar com a Sergio Bonelli Editore. Desenha para Zona X e, a partir de 1999, para Nick Raider, a que se seguirá Magico Vento. Para além do mercado italiano, colabora também com o mercado francês, nomeadamente com trabalhos para La Compagnie des ténèbres, para a Glénat, e Tuna Mara, para a Humanoïdes Associés. Entra na equipa de Tex desenhando Il villaggio assediato”, uma aventura para a série mensal, e “La pista dei Sioux”, para um Color Tex. Paralelamente à sua atividade de desenhador, dedica-se também à ilustração e à pintura com aerógrafo.

Tex vol. 1: A Chicotada
Pasquale Ruju, Mario Milano
Editora: A Seita
Páginas: 56, a cores
Encadernação: capa dura
Dimensões: 200 x 280 mm
ISBN: 978-989-54880-3-2
PVP: 14,00€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.
Últimos artigos