A BD por Benoît Despas e José Pires.

Thomas Alexandre Davy de La Pailleterie (1762-1806), também conhecido como Thomas Alexandre Dumas ou simplesmente General Dumas, foi um general da revolução francesa. Filho do marquês Alexandre Antoine Davy de la Pailleterie (1714-1786) e da sua escrava de origem africana Marie-Cessette Dumas (1714-1786), este mulato de São Domingos (atual Haiti), foi o primeiro general do exército francês com origens afro-caribenhas. Combateu na campanha da Bélgica, na guerra de Vendée (1793-1796), na guerra dos Alpes, na campanha de Itália (1796-1797) e na campanha do Egito (1798-1801). A sua alcunha “Demónio Negro” foi dada em 1797 pelos austríacos quando participou numa batalha em Innsbruck e perseguiu os inimigos até Sterzing, a quinze léguas do campo de batalha. É o pai do escritor Alexandre Dumas (Os Três Mosqueteiros, O Conde de Monte Cristo) e, portanto, o avô dos escritores Alexandre Dumas filho (A Dama das Camélias) e Henry Bauër.

Em 2009, a editora francesa Orphie publicou o álbum de banda desenhada dedicado a esta figura histórica, com argumento do belga Benoît Despas e desenhos do português José Pires. Relembre-se que este duo criativo já tinha trabalhado em conjunto no álbum Les Templiers: La Sang et la Gloire (Le Lombard, 1991).

Esta banda desenhada é agora disponibilizada na nossa língua em formato fanzine na coleção Fandaventuras Especial.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse:

O Demónio Negro é a extraordinária história do pai do escritor Alexandre Dumas. A de um filho de um aristocrata e escravo de São Domingos que, de simples soldado, se tornou general apenas pela bravura. Com este álbum, José Pires e Benoît Despas oferecem-nos um fresco heróico e comovente, que homenageia esta figura pouco conhecida da história da França.

Benoît Despas inicia a sua carreira nas publicações belgas Tintin e Hello Bédé. Seguem-se alguns álbuns em registo histórico ou de aventuras com ilustradores como Erwin Drèze, Jean-Marc Kulawic, Bernard Coppens e Patrick Van Oppen. Em 2003, o seu álbum Auriac, ilustrado pelo duo Marco Venanzi e Alain Sikorski, é nomeado para o Prix International de la BD Chrétienne Francophone em Angoulême e é galardoado com o Prémio de Melhor Álbum Estrangeiro no Festival de Sobreda, em Portugal. Nesse ano, é publicado Ozanam com Didier Chardez e Francis Carin e no ano seguinte inicia-se a série Les Nouvelles Aventures de Jimmy Tousseul, desenhada por Stephen Desberg e Daniel Desorgher. Posteriormente, coescreve com Jacques Martin o sétimo álbum de Les Voyages de Jhen, desenhado por Venanzi.

José Pires nasce em Elvas, Portugal. Inicia a sua atividade na banda desenhada com publicações em revistas como Cavaleiro Andante e Fagulha. Após a publicação de Homens do Oeste e Will Shanon: O Poço da Morte em Portugal e travar conhecimento em Bruxelas com Jean Dufaux, começa a trabalhar em publicações belgas como Tintin e Hello Bédé. Em Tintin, é publicada a série de western Irigo com argumento de Dufaux. O seu primeiro álbum no mercado francófono é Les Templiers: La Sang et la Gloire, com argumento de Benoît Despas (Le Lombard, 1991). Também em Portugal tem publicado álbuns de cariz histórico, como os dedicados a figuras históricas (Gil Eanes ou Pedro Álvares Cabral), eventos (Batalha do Bussaco) ou localidades (Gouveia). Em 2009, com Alexandre Dumas – O Demónio Negro, com argumento de Despas, Pires regressa à edição francófona em álbum.

Os interessados em obter exemplares de Fandaventuras devem entrar em contacto com o faneditor, através do e-mail gussy.pires@sapo.pt, prevenindo-se de que a tiragem desta publicação é muito limitada.

Alexandre Dumas – O Demónio Negro
Benoît Despas, José Pires
Editora: Serafim & Malacuéco, Inc.
Série: Fandaventuras Especial
Páginas: 44, a cores
Dimensões: A4
Encadernação: capa mole

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.