As fracas vendas ditaram a descontinuação da série.

O plano da G. Floy para o nosso país é, na teoria, simples. Portugal foi o país escolhido para tornar viáveis as publicações norte-americanas de BD na Polónia (via Mucha Comics, da qual a G. Floy é filial) com a encadernação em capa dura e a qualidade do papel a que a editora nos habituou. Um plano que, obviamente, beneficia o leitor português, especialmente numa altura em que a edição de material norte-americano por outras editoras é extremamente raro no nosso país.

Com algumas exceções, devido ao comportamento dos diferentes mercados (p.e., segundo a editora, a BD da Marvel vende melhor na Polónia que em Portugal, o que originou que X-Men: Age of Apocalypse ou a continuação de Jessica Jones pós-Bendis, entre outras, fossem publicadas somente na Polónia) ou a perceção que a editora tem dos mesmos (p.e., Moonshadow de J. M. DeMatteis et al. só fui publicado na Polónia), o plano é a coimpressão de quase todas as publicações em ambos os países.

Se é um facto que a primeira incursão da editora em Portugal, entre 2006 e 2011, terminou com o cancelamento da série Hellboy (que já tinha sido cancelada anteriormente pela Devir), o seu segundo fôlego em Portugal desde 2014 conseguiu apagar por completo da mente dos leitores essa memória menos boa, ao editar um grande número de títulos a preços competitivos e terminando todas as séries que decidiu iniciar.

Cerca de 7 anos após o início desta nova fase no nosso país, a editora comunica a má notícia de que a série The Wicked + The Divine foi descontinuada. A verdade é que os leitores portugueses estão dependentes de que as séries da G. Floy/Mucha Comics obtenham o devido retorno financeiro não só em Portugal como na Polónia. Se uma série dá prejuízo na Polónia, não há como tornar viável a sua publicação somente em Portugal. Nesse sentido, a editora comunicou aos leitores portugueses que a série foi descontinuada “devido ao acumulado prejuízo que estava a dar. Assim, ficam por editar os últimos cinco volumes.

Da autoria de Kieron Gillen e Jamie McKelvie, a série começou a ser publicada pela G. Floy em 2017, ao ritmo de 1 volume por ano, tendo o 4.º volume sido publicado em 2020. Inéditos no nosso país ficam então os últimos cinco volumes, inclusive o 8.º volume, com uma banda desenhada ilustrada pelo português André Lima Araújo.

Para os leitores portugueses que desejarem terminar de ler esta série em língua inglesa, originalmente publicada pela Image, podem escolher uma de três grandes opções. A menos prática será a de adquirirem todas as restantes 23 revistas e os 6 números especiais. Outra opção será a de adquirirem os 5 volumes em TPB em falta, semelhante à forma como seria o plano editorial da G. Floy, mas com os volumes em capa mole e com ilustrações de capa não coincidentes com as nacionais a nível de conceção gráfica (a G. Floy não utilizou as capas dos TPB mas sim uma das capas de um dos comics books compilados em cada volume):

A opção remanescente será a aquisição dos dois últimos volumes das compilações de luxo (em capa dura e de grande formato), sendo que o vol. 4 é composto na realidade por dois tomos:

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.