As Nomeações de Primavera 2021 dos Prémios Bandas Desenhadas.

Como tínhamos anunciado, desvendamos hoje a segunda lista de Nomeados dos Prémios Bandas Desenhadas 2021. As obras elegíveis para as Nomeações de Primavera são as constantes dos relatórios mensais referentes ao 2.º trimestre do ano do site Bandas Desenhadas. Apesar das exaustivas avaliações, não foi possível aceder à totalidade das 73 obras publicadas nesse período, estando salvaguardado o direito de poder vir a considerá-las para as Nomeações Extemporâneas finais.

Após muita ponderação, o júri deliberou em nomear a obra Os Covidiotas de Luís Louro, editado pela Ala dos Livros, para a categoria de Melhor Obra Nacional com Distribuição Comercial, uma compilação dos cartoons homónimos que o autor publicou nas redes sociais, bem como alguns inéditos. Tendo como temática a pandemia de COVID-19, o autor utiliza o humor para registar os comportamentos menos dignos da sociedade nacional e internacional perante este cenário.

Quanto à nomeação para a categoria de Melhor Obra Nacional com Distribuição Alternativa, os jurados ficaram rendidos com Palácio n.º 3 de Francisco Sousa Lobo, em edição de autor, tendo inclusivamente sido também nomeado para Melhor Argumento em Obra Nacional. Com um maior número de páginas, este terceiro número não só prossegue a publicação de mais capítulos da incontornável “40 Ladrões”, como inclui duas outras BD que demonstram um autor em plena fase criativa, dominando completamente o meio para narrar as suas estórias.

No que toca à nomeação de Melhor Ilustração em Obra Nacional, o escolhido foi My Best Friend Lara, da autoria de Joana Mosi, numa edição de autor. Esta obra confirma a evolução gráfica da autora, antevista em Both Sides Now, demonstrando amadurecimento na ilustração e na composição das pranchas, perante a estrutura imagética criada para esta obra.

A obra Querosene, com trabalhos de Ana Margarida Matos, André Pereira, Cláudia Sofia, Dois Vês, Eva Filipe, Gonçalo Duarte, Joana Tomé, João Carola, Rodolfo Mariano, Rui Moura e Sofia Neto, revelou-se uma antologia equilibrada quanto às suas diferentes propostas ilustrativas de um retrato do entorpecimento provinciano, imutável década após década. “Terra Queimada”, da autoria de Sofia Neto, resume, em pouca vinhetas, toda a obra, tendo sido nomeada para Melhor BD Curta.

Quanto às obras estrangeiras, a nomeação para a Melhor Obra Estrangeira foi para Fahrenheit 451 (baseada na obra de Ray Bradbury), de Tim Hamilton, editado pela Relógio d’Água. Se as ilustrações do autor são perfeitamente adequadas à narrativa, o argumento valeu-lhe também a nomeação para Melhor Argumento em Obra Estrangeira. Esta obra distingue-se pela importância e pertinência, abordando temáticas como aceleração da cultura e da tecnologia, a dominação da superficialidade em detrimento da complexidade ou a censura.

No que toca à Melhor Ilustração em Obra Estrangeira, após muita discussão, o júri nomeou a banda desenhada Apesar de Tudo, da autoria de Jordi Lafebre e editada pela Arte de Autor. A elegância do traço de Lafebre e a composição das pranchas regala o olhar do leitor, sendo o desenho perfeitamente complementado pela paleta de cores de Clémence Sapin e do próprio Lafebre.

A nomeação de Melhor Publicação de Humor recaiu em Spaghetti Bros 2. Esta divertida e, por vezes, hilariante comédia de costumes segue a saga da família italiana Centobucchi, radicada em Nova York nos anos 30 do século passado, composta por 5 irmãos – um mafioso cruel, um padre torturado, um polícia inflexível, uma atriz e uma mãe de família que é uma assassina contratada.

A nível da nomeação para Melhor Série, os jurados optaram por Peter Pan, da autoria de Régis Loisel, editada pela ASA. Não só se trata de um clássico moderno da banda desenhada franco-belga, como é de salutar que finalmente se tenha realizado a sua edição integral, após dois cancelamentos por duas editoras distintas. Esta prequela da famosa obra de Sir James Matthew Barrie merece toda a atenção quer a nível do seu argumento quer da ilustração.

Quanto à Melhor Edição e Reedição, as obras nomeadas foram, respetivamente, os 10.º e 1.º volumes da série O Mercenário de Vicente Segrelles, a icónica BD pintada a óleo. Para além dos acabamentos da edição, destacam-se os dossiers de 16 páginas em cada um dos volumes, repletos de ilustrações e apontamentos do autor.

Nomeações de 2021

Melhor Obra Nacional com Distribuição Comercial

  • Inverno: Discórdia – Nani Brunini (Pato Lógico)
  • Primavera: Os Covidiotas – Luís Louro (Ala dos Livros)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Obra Nacional com Distribuição Alternativa

  • Inverno: Palácio n.º 2 – Francisco Sousa Lobo (ed. autor)
  • Primavera: Palácio n.º 3 – Francisco Sousa Lobo (ed. autor)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Argumento em Obra Nacional

  • Inverno: Palácio n.º 2 – Francisco Sousa Lobo (ed. autor)
  • Primavera: Palácio n.º 3 – Francisco Sousa Lobo (ed. autor)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Ilustração em Obra Nacional

  • Inverno: Mnemosina – André Coelho (Bestiário)
  • Primavera: My Best Friend Lara – Joana Mosi (ed. autor)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Antologia

  • Inverno: Outras Bandas n.º 4 (Tágide)
  • Primavera: Querosene (Chili Com Carne)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor BD Curta editada em Antologia

  • Inverno: “Menino Perdido” – Susana Resende (em Outras Bandas n.º 4 – Tágide)
  • Primavera: “Terra Queimada” – Sofia Neto (em Querosene – Chili Com Carne)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Publicação Estrangeira

  • Inverno: O Castelo dos Animais 2: As Margaridas do Inverno – Xavier Dorison & Félix Delep (Arte de Autor)
  • Primavera: Fahrenheit 451 (baseada na obra de Ray Bradbury) – Tim Hamilton (Relógio d’Água)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Argumento Estrangeiro

  • Inverno: O Castelo dos Animais 2: As Margaridas do Inverno – Xavier Dorison (Arte de Autor)
  • Primavera: Fahrenheit 451 (baseada na obra de Ray Bradbury) – Tim Hamilton (Relógio d’Água)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Ilustração Estrangeira

  • Inverno: O Burlão nas Índias – Juanjo Guarnido (Ala dos Livros)
  • Primavera: Apesar de Tudo – Jordi Lafebre (Arte de Autor)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Publicação de Humor

  • Inverno: Mika & Patata em D.A.D. – João Gordinho (Black Ink)
  • Primavera: Spaghetti Bros 2 – Carlos Trillo & Domingo Mandrafina (Arte de Autor)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Série de Publicações

  • Inverno: Rio – Louise Garcia & Corentin Rouge (ASA)
  • Primavera: Peter Pan – Régis Loisel (ASA)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Edição

  • Inverno: O Burlão nas Índias – Alain Ayroles & Juanjo Guarnido (Ala dos Livros)
  • Primavera: O Mercenário vol. 10: Gigantes – Vicente Segrelles (Ala dos Livros)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

Melhor Reedição

  • Inverno: Armazém Central vol. 1: Marie – Régis Loisel & Jean-Louis Tripp (Arte de Autor)
  • Primavera: O Mercenário vol. 1: O Fogo Sagrado – Vicente Segrelles (Ala dos Livros)
  • Verão:
  • Outono:
  • Extemporânea:

O anúncio das Nomeações de Verão dos Prémios Bandas Desenhadas 2021, referentes às obras editadas no 3.º trimestre, será realizado a 22 de outubro.

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.