De Alfredo Castelli e Corrado Roi.

Após Drácula de Georges Bess, A Seita prossegue com a sua coleção Nona Literatura com a obra Apocalipse: A Revelação de São João, da autoria dos autores bonellianos Alfredo Castelli e Corrado Roi. Para além da banda desenhada, o livro inclui um prefácio que dá pistas para a leitura e interpretação da obra bíblica, bem como um dossier final que analisa e documenta o Apocalipse do ponto de vista iconográfico e as várias adaptações de que foi alvo. A obra foi originalmente editada em Itália pela Sergio Bonelli Editore, em 14 de novembro de 2019.

Tal como em Drácula, a obra é editada com duas capas distintas, sendo uma delas exclusiva da loja online Wook.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

O Apocalipse, ou Livro das Revelações, é o último e o mais visionário livro do Novo Testamento. Atribuído ao evangelista São João, este capítulo fulcral da Bíblia é adaptado à banda desenhada de forma simultaneamente rigorosa e inovadora por dois mestres dos fumetti italianos, Alfredo Castelli e Corrado Roi, não só traduzindo em imagem o texto alegórico de São João, como analisando a importância deste texto bíblico ao longo dos tempos, através da influência que o Apocalipse teve sobre personalidades tão diversas como Isaac Newton, Aleister Crowley e Jorge Luís Borges.

Alfredo Castelli, nascido em 1947, é um prolífico escritor, investigador, argumentista e especialista em banda desenhada. A sua estreia no género dá-se aos 19 anos, com a criação de Scheletrino, uma tira humorística publicada como suplemento da revista Diabolik. No ano seguinte, escreve e edita aquele que foi o primeiro fanzine italiano sobre BD, Comics Club 104. À sua atividade como argumentista para diversas editoras e publicações, junta também a escrita de guiões para séries televisivas da RAI e para desenhos animados. Para a revista Il Corriere dei Ragazzi cria inúmeras histórias e personagens, como Gli Aristocratici e Allan Quatermain, que irá servir de modelo para a criação de Martin Mystère, e em que já é bem evidente o gosto de Castelli por histórias muito bem documentadas que misturam o género fantástico e as teorias da conspiração, com a aventura e a História. Para a Bonelli, Castelli escreve argumentos para Zagor, Ken Parker e Mister No, mas é a criação, em 1982, de Martin Mystère, o detetive do impossível, que o torna conhecido.

Corrado Roi, um dos mais ativos desenhadores italianos de fumetti, encontrou nas aventuras de Dylan Dog o palco de eleição para o seu estilo sombrio e estilizado. A sua estreia na Bonelli faz-se em meados da década de 80 nas séries Mister No e Martin Mystère, antes de se afirmar na série Dylan Dog, de que desenhou dezenas de histórias, incluindo a história em três partes Os Inquilinos Arcanos e Trevas Profundas, duas das suas histórias do detetive do pesadelo que tiveram direito a edição nacional. Para além da sua colaboração na série Dylan Dog, que inclui as capas da coleção Grande Ristampa, Roi ilustrou também um volume anual de Tex, e diversas histórias de Nathan Never, Julia, Mágico Vento e Dampyr, para além da mini-série UT, o seu projeto mais pessoal, escrito a meias com Paola Barbato, argumentista com quem já colaborou por diversas vezes na série Dylan Dog.

Apocalipse: A Revelação de São João
Alfredo Castelli & Corrado Roi
Editora: A Seita
Páginas: 112, 16 das quais a cores
Encadernação: capa dura
Dimensões: 210 x 285 mm
ISBN: 978-989-53150-5-5 | 978-989-53150-6-2 (capa exclusiva)
PVP: 20,00€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.