Bem-vindo ao mundo estranho de Zaqueu

Editado originalmente no Brasil em 2017 pela Jupati Books, Matei o meu pai e foi estranho, de André Diniz, é uma das novidades da Polvo no Amadora BD 2021.

O autor André Diniz estará presente no Amadora BD 2021 para a sessão de lançamento e para a habitual sessão de autógrafos. Para ficar a saber os horários clique aqui.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse:

Zaqueu começa com Z, a última letra do alfabeto. Deslocado por natureza e vocação: Zaqueu nasceu albino, de cabelos e pele mais que brancos, em meio a uma família de gente morena. Nasceu artista, embora a sua família nem imagine o que seja isso. Pobre mas estuda em escola de rico – o patrão do seu pai é mesmo um sujeito generoso. Mesmo em em uma cidade de 12 milhões de habitantes, Zaqueu procura o seu lugar, talvez em vão, mas procura. Mais: procura beleza em uma cidade feia, pra lá de feia, feiúra que grita aos olhos dos outros, mas não aos dele, não aos olhos vermelhos de Zaqueu. A feiúra fascina Zaqueu, a feiúra o encanta – mas não a ponto de virar beleza, pois beleza não tem graça. Todo prédio bonito é igual, mas cada prédio feio é feio à sua maneira. O mesmo vale para garotas, por que não? Zaqueu sabe que São Paulo vai devorá-lo vais cedo ou mais tarde. Pois que venha, então.

André Diniz é argumentista e ilustrador de banda desenhada. Nasceu em 05/09/1975 no Rio de Janeiro e reside desde 2016 em Portugal. Entre 2000 e 2005, publicou diversos trabalhos de sua autoria pela Nona Arte, a sua própria editora. A partir de 2005, passou a publicar as suas obras por outras editoras, como Record, LeYa, Conrad, Devir, Jupati e Companhia das Letras, somando mais de 30 títulos de sua autoria, sejam argumentos seus em parceria com outros desenhadores, sejam obras com desenhos e argumentos seus. Entre seus trabalhos mais conhecidos, estão Fawcett, 7 Vidas, O Quilombo Orum Aiê, Morro da Favela,  Que Deus te Abandone, Matei o Meu Pai e Foi Estranho, Olimpo Tropical e O Idiota. Entre 2012 e 2015, André Diniz também foi professor de argumentos para BD na Quanta Academia de Artes, em São Paulo. A partir de 2012, passou a ser publicado também na Europa, com a sua BD Morro da Favela, a biografia de Maurício Hora, fotógrafo do Morro da Providência, no Rio de Janeiro, publicada no Brasil, França, Inglaterra, Portugal e Polônia. Em Portugal, teve vários outros títulos já publicados. Para França, fez ainda as ilustrações para edições de obras brasileiras traduzidas para o francês, como O Menino do Engenho e O Quinze, para a editora Anacoana. Em setembro de 2013, teve uma história de duas páginas publicada no semanário italiano Internationalle. Em Portugal, a sua obra gráfica foi tema de exposições em 2013, 2014, 2016 e 2020. Em 2014, a arte de Morro da Favela foi tema de exposição no festival Étonnants Voyageurs, em França. Desde 2000, foi galardoado com uma vintena de prémios.

Matei o meu Pai e foi estranho
André Diniz
Editora: Polvo
Páginas: 120 a preto
Encadernação: capa mole
PVP: 11,90€

SOBRE O AUTOR |

Rodrigo Ramos
Rodrigo RamosAdministrador
É administrador do site. Licenciado em Informática, agrega no Bandas Desenhadas dois mundos que adora - a web e a banda desenhada.