O 28.º volume de As Aventuras de Blake e Mortimer.

Desde que a série As Aventuras de Blake e Mortimer foi relançada com assinalável sucesso em 1996, nove anos após o falecimento do seu criador, Edgar P. Jacobs, foram constituídas várias equipas criativas que tentam assegurar a publicação periódica de álbuns.

O argumentista Jean Van Hamme assina o seu 5.º álbum na série com O Último Espadão, o 28.º volume, o qual marca o seu regresso à mesma após onze anos. Quando às ilustrações, estão a cargo de Teun Berserik e Peter van Dongen, duo que já tinha assinado os álbuns O Vale dos Imortais Tomo 1 e Tomo 2, sendo a primeira vez que se reúne com Van Hamme na série.

Após a pré-publicação no jornal francês Le Figaro desde 27 de setembro de 2021, o lançamento do álbum no ocorre no dia 19 de novembro, acompanhado a ASA o lançamento mundial da obra e tendo, como é hábito, editado duas versões com capas diferentes, uma delas exclusivamente comercializada pela Fnac.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Algures numa estrada em Inglaterra, um veículo circula em direção ao aeroporto militar de Hasley. No seu interior, o major Rupert Humbletweed, a quem o governo britânico confiou uma missão secreta. Entretanto, no Centaur Club, em Londres, o capitão Francis Blake janta um roastbeef bem passado com o seu amigo, o Professor Philip Mortimer, a quem confia uma operação da mais alta importância: deslocar-se ao Paquistão para alterar o código de ativação dos Espadões estacionados na base de Makran, de forma a permitir a sua transferência para Scaw-Fell, em Inglaterra. Blake, que acaba de assumir o comando do MI 5, tem por sua vez de partir imediatamente para o Ulster, já que, segundo um dos seus agentes, o IRA estaria a preparar um ataque de grande envergadura contra Inglaterra… Primeiro argumentista a retomar as aventuras de Blake e Mortimer com O Caso Francis Blake, Jean Van Hamme imagina neste 28.º volume uma continuação para o álbum inaugural da série, O Segredo do Espadão, que ele descobriu com a sua publicação na revista Tintin. Constituindo uma vibrante homenagem a Edgar P. Jacobs, este O Último Espadão conta com o desenho muito “jacobsiano” de Teun Berserik e Peter Van Dongen, que já foram os desenhadores de O Vale dos Imortais (números 25 e 26).

Jean Van Hamme nasceu em Bruxelas (Bélgica), em 1939. Depois de uma brilhante carreira internacional como engenheiro comercial, decide em 1976 passar a viver da sua escrita, renovando desde logo todos os géneros da chamada “BD clássica” e acumulando sucesso atrás de sucesso. Ao longo dos anos cria a saga Thorgal para Rosinski, depois XIII para Vance, Les Maîtres de l’orge para Vallès, Wayne Shelton para Denayer e Lady S para Aymond, e inicia o relançamento de Blake et Mortimer. Em 1989 cruza-se com Philippe Francq, que lhe confiou a personagem Largo Winch.

Teun Berserik, nascido no seio de uma família de artistas nos Países Baixos, demorou algum tempo a enveredar pelo mundo artístico. Com efeito, foi só depois de ter gerido durante doze anos uma oficina especializada em carros anteriores a 1940 que a musa do desenho lhe bateu por fim à porta. Em resultado disso, para além de ilustrações para manuais escolares de várias disciplinas (biologia, história…), bem como alguns trabalhos de publicidade e desenhos animados, Teun Berserik executa atualmente bandas desenhadas (por vezes didáticas) para crianças, adolescentes e adultos. A sua banda desenhada dedicada aos primeiros anos de Van Gogh (intitulada justamente Vincent Van Gogh e publicado em 2012) recebeu em 2013 o Prémio para a Melhor BD da Het Stripschap (Associação de Banda Desenhada dos Países Baixos). Desde 2000 que se dedica à pintura, tendo participado em diversas exposições tanto como membro do Pulchri Studio como do Haagse Kunstkring. Executa além disso pinturas murais, sendo que uma das maiores, com 4,5m x 24m, está exposta no Museu da Guerra de Overloon (Países Baixos).

Peter Van Dongen, autor de banda desenhada e ilustrador, viu o prémio neerlandês de BD Stripschap ser sucessivamente atribuído ao seu primeiro álbum Muizentheater (Teatro de Ratos), publicado em 1990, e à sua banda desenhada em dois volumes Rampokan, lançada em 1998 e 2004. Esta última – que o tornou conhecido internacionalmente – desenrola-se durante a guerra da independência da Indonésia, em 1946, e tem como herói o militar holandês Johan Knevel, que regressa ao país da sua infância para aí encontrar um mundo em vias de desaparecimento. O díptico Rampokan, traduzido em francês, alemão, indonésio e inglês, foi distinguido com vários prémios, entre os quais o Prix du Lion em 1999, em Bruxelas. Em 2013, a pedido da marca de roupa Gant International, Van Dongen desenha o álbum Drie dagen in Rio (Três Dias no Rio), que narra a infância do fundador da marca, Lennart Björk. Em março de 2018, Van Dongen recebeu o Prémio Stripschap pelo conjunto da sua obra.

As Aventuras de Blake e Mortimer vol. 28: O Último Espadão
Jean Van Hamme, Teun Berserik, Peter Van Dogen
Editora: ASA
Páginas: 64, a cores
Encadernação: capa dura
Dimensões: 313 x 215 mm
ISBN: 9789892352251 | 9789892352268 (capa exclusiva Fnac)
PVP: 15,90€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.