De Paulo Monteiro.

Sete anos após a 3.ª edição, a banda desenhada O Amor Infinito que te Tenho e outras histórias de Paulo Monteiro tem direito à 4:º edição, novamente pela Polvo. Trata-se do segundo volume da coleção Biblioteca Polvo, inaugurada há quase 2 anos com a reedição de Morro da Favela de André Diniz.

Tal como o volume de Diniz na mesma coleção, também esta nova edição desta antologia de bandas desenhadas curtas de Paulo Monteiro é editada em capa dura.

Para os leitores que desconhecem a obra de banda desenhada portuguesa mais publicada internacionalmente, originalmente editada em 2010, propomos que leiam o que escrevemos sobre a mesma aqui.

Eis a sinopse da editora:

Numa nova edição, ampliada e com capa cartonada, o primeiro livro de banda desenhada de Paulo Monteiro mostra de forma clara e concisa o percurso de maturação de um autor que vive intensamente as histórias que conta e desenha. Com uma narrativa plena de subtileza, reúne um conjunto de histórias curtas efetuadas entre 2005 e 2010 e exibe a diversidade de sentimentos que uma vida pode conter. Já se tornou, com toda a justiça, no livro mais traduzido de sempre da banda desenhada portuguesa. Premiado, entre outros, com o Prémio para Melhor Álbum Português no Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora, em 2011.

Paulo Monteiro nasceu em Vila Nova de Gaia em 1967. A partir dos 13 anos, começou a ilustrar fanzines de poesia, cartazes e murais. Em 1987, matriculou-se em Letras, na Universidade de Lisboa. Durante esse período, estudou Pintura e Cenografia para Teatro. Quando se licenciou, em 1991, foi viver para Beja, a sua cidade adotiva. Teve (e tem) interesses e atividades muito diferentes: trabalhou nas vindimas, passou filmes de Buster Keaton e Charlot de terra em terra, escreveu para a rádio e para os jornais como jovem jornalista, trabalhou no Cais Marítimo de Alcântara, compôs músicas, tocou guitarra em lares, foi professor de Geografia e Ciências da Natureza, fez cenários e figurinos para teatro, fez teatro de sombras chinesas e teatro de fantoches, participou em escavações arqueológicas, realizou uma curta-metragem, etc, etc. Também fez a curadoria de dezenas de exposições de azulejaria, banda desenhada, escultura, ilustração, pintura antiga, etc. Em 2010, vê ser editado o seu primeiro livro de banda desenhada, O Amor Infinito que te tenho, primeiro em Portugal e depois no Brasil, em Espanha, França, Polónia, Roménia, Sérvia e Turquia e distribuído em 16 países. Algumas das histórias do livro, que teve uma grande repercussão em Portugal e no estrangeiro, foram também publicadas em alemão, checo, galego e inglês. Desde 2005 que faz a direção da Bedeteca de Beja e do Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja. Tem realizado várias exposições com o seu trabalho e várias conferências acerca da História da banda desenhada portuguesa e dos seus autores. Em Angola, no Brasil e um pouco por toda a Europa. Também viaja regularmente pelo Sul de Portugal visitando escolas em pequenas vilas e cidades para falar de banda desenhada ou do seu trabalho como autor. Em 2019, ganhou uma Bolsa de criação literária do Ministério da Cultura na área da banda desenhada com o projeto do livro Estrela, que se encontra atualmente a realizar. É também o responsável pelo projeto de instalação do futuro Museu da Banda Desenhada, em Beja.

O Amor Infinito que te Tenho e outras histórias (4.ª edição)
Paulo Monteiro
Páginas: 72, preto e branco
Encadernação: capa dura
Dimensões: 168 x 236 mm
Série: Biblioteca Polvo, n.º 2
ISBN: 978-989-9084-10-0
PVP: 12,20€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.