Os resultados de 2021 e o plano para 2022.

Em 2021, a Gradiva publicou 11 livros de banda desenhada, um valor próximo do número do ano pré-pandémico 2019 (com 12 publicações), após ter reduzido o número de lançamentos de BD para 7 em 2020.

O ano de 2021

Inquirida a Gradiva sobre quais os livros de 2021 que tinham vendido mais, o editor Guilherme Valente responde que “todos venderam bem, excepto um! Imagine“…

O livro que teve menos atenção do público foi o de Christophe Blain. “O Gus. O único que não vendemos“, lamenta Guilherme Valente. “De um génio.”

Questionado sobre como a crítica especializada reagiu a esse livro, bem como aos demais editados pela Gradiva em 2021, Guilherme Valente interroga-se: “Crítica? Nos blogues está bem viva e agradecemos muito a atenção que têm dado à nossa BD. Destaco o Público, que entrevistou o autor e escreveu sobre o álbum. Nos restantes jornais? Qual crítica?

O plano para 2022 e o futuro

Quanto ao plano editorial de banda desenhada para 2022, “continuaremos a apostar muito forte na BD“, garante Guilherme Valente. “É também uma paixão pessoal do editor, que hoje a Gradiva se pode dar ao luxo de realizar.” Do plano para este ano, o editor revela a série Nestor Burma. Após Jacques Tardi ter adaptado a série de romances policiais de Léo Malet, com 4 álbuns publicados entre 1982 e 2000, a série prosseguiu no mercado franco-belga “por outros grandes autores, na mesma linha gráfica” (Emmanuel Boynot e Nicolas Barral). Este ano, a Gradiva editará os primeiros álbuns pós-Tardi, desenhados por Boynot.

E prosseguiremos também Tango, um grande sucesso“, revela Guilherme Valente. “E vamos continuar, e em força, com os westerns.

Entretanto, existem várias séries iniciadas pela Gradiva que não prosseguiram o ano passado ou em anos anteriores. Perguntámos se as séries Eles Fizeram História (último volume publicado em 2020), A Sabedoria dos Mitos (último em 2020), O Guardião – Agente Secreto do Vaticano (último em 2020), Descobridores (último em 2019), O Diário de Esther (último em 2019), Pequena Bedeteca do Saber (último em 2018) e Hubert Reeves Explica (último em 2018) tinham sido descontinuadas pela editora. “Vamos prossegui-las todas, com exceção de O Diário de Esther“, afirma Guilherme Valente.

O Diário de Esther é uma série da autoria de Riad Satouff (o autor da série O Árabe do Futuro), pré-publicada no hebdomadário L’Obs, sendo cada ano da vida de Esther compilado em álbum no mercado franco-belga pela Allary Éditions. O propósito é o de documentar a vida quotidiana de uma filha de um casal amigo, entre os seus 10 e 18 anos de idade, estando previsto que o projeto ocorra entre 2015 e 2023. A edição nacional da Gradiva em livro diferiu da edição da Allary em dois pontos. Por um lado, cada volume português compilou as pranchas respeitantes a 6 meses e não a 1 ano. Por outro lado, os livros da Gradiva apresentam formato horizontal ao invés do formato vertical dos da Allary. “O Diário de Esther foi descontinuado“, confirma Guilherme Valente. “Falhámos nesta escolha. Quem continua e descontinua… São os leitores. Eles é que escolhem o que querem continuar a ter.”

Quanto ao futuro imediato, com somente 4 álbuns específicos desvendados para serem publicados em 2022 (mas com a contracapa de um deles a prometer a publicação de um terceiro álbum de Nestor Burma), a Gradiva certamente trará mais revelações para os seus leitores de banda desenhada ao longo do ano.

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.