O oitavo volume da série de Dav Pilkey.

Sem dúvida, os personagens Capitão Cuecas, George Beard e Harold Hutchins ganharam um novo grau de popularidade a nível mundial aquando da adaptação dos livros ilustrados para a animação. Após a estreia cinematográfica de Capitão Cuecas: O Filme em 2017, a DreamWorks iniciou a produção de uma série de animação, cujas temporadas estão disponíveis no nosso país na Netflix.

A saga do Capitão Cuecas, da autoria de Dav Pilkey, um novo clássico da literatura infanto-juvenil, profusamente ilustrado, foi publicada pela Gradiva no nosso país. Inclusivamente, esta editora, para além dos 12 volumes da série original e de ter começado a relançar a série totalmente colorida, publicou também a maioria dos seus spin-offsO Extracrocante Livro de Passatempos do Capitão Cuecas 1 e O Novo Extracrocante Livro de Passatempos do Capitão Cuecas 2, para além dos anunciados passatempos no título, também contêm bandas desenhadas, para além de flip-o-ramas, autocolantes e diversas atividades. E em 2020, a Gradiva começou a editar a saga numa nova versão, totalmente a cores, cujo 3.º volume foi editado em agosto do ano passado.

Atendendo a que os protagonistas George e Harold escrevem e desenham bandas desenhadas, não será de admirar que alguns dos spin-offs sejam em BD, constando inclusivamente com frequência os nomes destes personagens na autoria desses volumes. A Gradiva publicou As Aventuras do Super-Bebé Fraldinha e As Aventuras de Bonk e Cronk, Homens das Cavernas do Kung-Futuro. Foram as duas primeiras graphic novels das personagens George Beard e Harold Hutchins. Trata-se, portanto, de dois livros de banda desenhada, protagonizados por personagens “criados” pelos protagonistas da série Capitão Cuecas. Desta fase, somente se encontra inédita em Portugal a segunda graphic novel do Super-Bebé Fraldinha.

Outra série de graphic novels de George e Harold é o Homem-Cão, com 10 volumes da série principal editados nos EUA e que teve direito ao seu próprio spin-off Cat Kid Comic Club, com o qual volume planeado para ser editado em novembro deste ano. Aliás, em O Capitão Cuecas e a sensacional saga do Sr. Fedorovky, o último volume da saga original, é possível ler um pouco dos comic books do Homem-Cão publicados 20 anos no futuro, na qual o autor satiriza as (aparentes) mortes e a facilidade com que os mascarados se podem fazer passar uns pelos outros na banda desenhada de super-heróis.

Em Portugal, foi a chancela Marcador da Editorial Presença que publicou os primeiros 2 volumes de Homem-Cão em novembro de 2017, seguido do 3.º volume em outubro de 2018, do 4.º volume em agosto de 2019, do 5.º volume em outubro de 2019, do 6.º volume em novembro de 2020 e do 7.º volume em abril de 2021.

Este mês, a Marcador edita o 8.º volume, de seu título Homem-Cão Apanha 22 (Dog Man: Fetch-22, no original). George e Harold, encontram-se agora no 6.º ano, sendo o título do livro uma referência ao romance Artigo 22 (Catch-22, no original) de Joseph Heller. De regresso, estão os habituais personagens desta série, incluindo o Pequeno Petey, o qual foi introduzido no 3.º volume e se tornou um dos mais importantes da série.

Neste oitavo volume, a série continua a fazer a ponte com muitos dos elementos que popularizaram a série original e que são tanto do agrado das crianças, para além da própria banda desenhada: gadgets e invenções, o piscar de olho à BD do subgénero dos super-heróis, violência cartoonesca q.b., flip-o-oramas (animações cíclicas com base em desenhos presentes em 2 páginas, geradas pelo virar para frente e para trás de uma folha) e, claro, o humor, frequentemente repleto de nonsense, para gáudio dos leitores.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

No oitavo volume da série Homem-Cão, escrita e ilustrada pelo criador do Capitão Cuecas, o herói canino precisa de se unir ao inimigo Petey para salvar a cidade das maldades de uma suposta Fada da Justiça!
Desde que saiu da Prisão dos Gatos, Petey, o arqui-inimigo do Homem-Cão, tem pensado em deixar a vida de vilania para trás. Agora que tem de cuidar do Pequeno Petey, não quer que a sua relação com o gatinho seja parecida com a que ele próprio tinha com o pai quando era filhote. E por falar no pai de Petey… Este avô está pronto para executar o seu próximo golpe e voltar às ruas repleto de planos malignos.
Quando o avô felino engana o filho, rapta o próprio neto e começa a procurar uma parceira de crime vingativa (e sensata), o Homem-Cão e o Petey sabem que chegou a altura de unir as patas para trabalhar em equipa por um bem maior: salvar o Pequeno Petey (e a cidade inteira!). Afinal, estão prestes a aprender como uma pequena mudança pode fazer toda a diferença.

Dav Pilkey
Criou as suas primeiras histórias aos quadradinhos quando andava na escola primária. Em 1997, escreveu e ilustrou o seu primeiro livro para crianças, As Aventuras do Capitão Cuecas, que obteve críticas entusiásticas e foi de imediato um grande êxito de vendas – tal como os três livros seguintes da mesma série.
Dav escreveu vários outros livros ilustrados que receberam prémios, incluindo The Paperboy e a série Dumb Bunnies. Vive com o seu cão em Portland, Oregon.

Homem-Cão vol. 8: Apanha 22
Dav Pilkey
Editora: Marcador
Páginas: 240, a cores
Encadernação: capa mole
Dimensões: 140 x 210 mm
ISBN: 9789897545498
PVP: 13,90€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.