Edgar P. Jacobs – O Sonhador de Apocalipses

Edgar P. Jacobs – O Sonhador de Apocalipses

O retrato biográfico de um dos maiores autores da nona arte

De forma a assinalar o aniversário da primeira publicação das aventuras de Blake e Mortimer, na revista “Tintin”, há 75 anos, a editora Arte de Autor publica Edgar P. Jacobs – O Sonhador de Apocalipses, da autoria de François Rivière e Philippe Wurm.

François Rivière, ensaísta e romancista que conversou longamente com o mestre ainda em vida, reconta o artista tal como ele próprio se confidenciou. Philippe Wurm, um dos herdeiros óbvios e reivindicados da linha Jacobs, descreve esse destino fascinante “à maneira de”, com um traço fino e preciso de um mimetismo perturbador.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Apreciador de arte antiga, coleccionador de objectos antigos de todos os tipos, cantor lírico apaixonado pelo palco…
Antes de ser o criador de Blake e Mortimer, Edgar P. Jacobs era um homem de grande curiosidade, movido por muitas paixões que durante toda a sua vida deram asas à sua imaginação. Dessa forma, desde muito jovem sonhou ser cantor de ópera e, apesar de uma passagem pela Real Academia de Belas Artes de Bruxelas, preferiu considerar a ilustração como uma forma de sustento e não como uma verdadeira vocação. No entanto, os anos quarenta e a guerra, gradualmente levaram Jacobs a dedicar mais tempo à sua produção gráfica. Mais tarde, conheceu Hergé, foi seu assistente em Tintin, e acabou por criar as aventuras de dois heróis ingleses destinados a tornarem-se incontornáveis: o coronel Francis Blake e o professor Philip Mortimer. A banda desenhada tornou-se a sua profissão e a sua arte, e a sua contribuição foi essencial…

François Rivière é um crítico literário, romancista, tradutor, ensaísta e guionista de banda desenhada nascido em Charentes-Maritimes. É especialista em literatura policial e, mais especificamente, literatura inglesa, com uma predilecção pela obra de Agatha Christie. Dedicou-lhe várias obras, bem como uma colecção de BD que adapta os seus mais famosos romances. Sempre em banda desenhada, é também o autor das aventuras de Francis Albany e de Blitz, publicadas em Dargaud e desenhadas por Floc’h, da série Victor Sackville na Lombard com Francis Carin (escrito por Gabrielle Borile) da trilogia Le Privé d’Hollywood realizada com Philippe Berthet na Dupuis (escrita por José-Louis Bocquet), de Révélations posthumes com Andréas na Delcourt ou mais recentemente de Benjamin Blackstone com Javier Casado nas edições Casterman (escrita por Nicolas Perge). François Rivière é um mestre do suspense, capaz de adaptar sua escrita e a sua linguagem a todos os públicos. O seu afecto pela Nona Arte levou-o também a co-escrever um livro dedicado a Edgar P. Jacobs com Benoit Mouchart e dois ensaios sobre Hergé. Por fim, publicou uma colectânea de entrevistas com Jacobs que permanece uma referência no conhecimento da obra deste autor.

Philippe Wurm é um desenhador de banda desenhada nascido na Suíça. Começou a carreira, inspirado na sua paixão pelo ténis, publicando a Fabulosa Epopeia do Ténis em 1989. Em seguida, faz várias adaptações de romances policiais antes de se dedicar à série Le Cercle des Sentinelles sobre um cenário de Stephen Desberg. O seu encontro com Jean Dufaux lança-o num projecto completamente diferente com a saga dos Rochester. Em seguida, prossegue a sua colaboração com o mesmo argumentista publicando Lady Elza de 2011 a 2014 na Glénat.

Para mais pormenores, ver o vídeo:

Para subscreveres o canal DOC DOC TV, clica aqui.

Edgar P. Jacobs – O Sonhador de Apocalipses
François Rivière & Philippe Wurm
Edição: Cartonada
Número de páginas: 144 a cores
Formato: 23,5 x 31 cm
ISBN: 978-989-9094-12-3
Editora: Arte de Autor
PVP: 31,00€

Deixa um comentário