La Princesse du Château sans Fin.

Ao longo dos anos, temos vindo a acompanhar o olhar atento que a Association des journalistes et Critiques de Bande Dessinée (ACBD) dedica á manga editada no mercado franco-belga. Em 2022, a obra galardoada com o Prémio Ásia da Crítica ACBD foi La Princesse du Château sans Fin, da autoria de Shintaro Kago, editada pela Huber.

A manga passa-se no Japão feudal do século XVI. O autor situa a ação num castelo enorme que cresce em direção aos céus. No último andar, um duelo de espadas com um resultado incerto cria uma anomalia espaço-temporal e a fortaleza é dividida em dois ramos. No primeiro ramo, o Senhor matou o seu agressor; e no segundo ramo, aconteceu o contrário. Os dois meio-castelos continuam a crescer em paralelo, enquanto o autor relata esses futuros opostos.

A ACBD deu ainda o devido destaque às restantes 4 obras nomeadas para o prémio, considerando que o conjunto das 5 obras testemunha a qualidade e diversidade da BD asiática:

  • Adabana, de NON, ed. Kana
  • Destination Terra…, de Keiko Takemiya, ed. naBan
  • Irene, de Hideki Arai, ed. Black Box
  • Saturn Return, de Akane Torikai, ed. Akata

Como é habitual com as seleções da Associação dos jornalistas e Críticos de Banda Desenhada francesa, nenhuma das obras contempladas conhece edição portuguesa, seja o vencedor ou nomeados.

SOBRE O AUTOR |

Chloe S
Chloe S
Interessada em artes visuais, gosta de cozinhar, perder-se nos serviços de streaming e redes sociais. Quando o irmão deixa, joga videojogos.