Análise de O Regresso do Cavaleiro das Trevas

Há textos que são difíceis de começar!

Primeiro porque todo aquele que escreve gostaria de iniciar o seu texto com uma frase de tal modo impactante que a atenção do leitor ficasse ganha logo pela leitura da primeira linha.

Em segundo, porque a informação que se quer veicular é tanta e toda ela igualmente importante, que se torna quase impossível escolher por onde começar.

E depois há a questão do peso da lenda. Neste caso, o que escrever acerca de um personagem como Batman que ainda não tenha sido escrito? E o mesmo em relação a obra tão importante para a 9.ª Arte como é O Regresso do Cavaleiro das Trevas? É que o “Homem Morcego” tem mais de 80 anos de aventuras e de críticas a acompanhá-lo e a obra seminal de Frank Miller tem 35.

Para além disso, e num tom mais pessoal, este é o meu 100.º artigo para o Bandas Desenhadas e queria começá-lo em grande, à laia de comemoração.

Ora, perante todas estas inquietações, e tendo já começado há uns parágrafos atrás, só me resta agora continuar.

O Batman foi criado em maio de 1939 por Bob Kane e Bill Finger. Ao longo da sua existência, muitas foram as aventuras que encheram em pleno a mente de milhões de leitores em todo o mundo. Mas, dos milhares de comics, one-shots e graphic novels publicados, há uns quantos que, por uma ou outra razão se destacam.

Na minha lista de preferências, entre outros, figuram com proeminência os seguintes:

  • The Killing Joke, de Alan Moore e Brian Bolland;
  • Batman: Hush, de Jeph Loeb e Jim Lee;
  • Batman: Earth One, 3 vols., de Geoff Johns e Gary Frank;
  • Batman: The Long Halloween, de Jeph Loeb e Tim Sale;
  • Batman: Three Jokers, de Geoff Johns e Jason Fabok;
  • Gotham by Gaslight, de Bryan Augustyn e Mike Mignola.

Se queremos ficar agarrados ao personagem, é lermos estes seis títulos.

Se queremos ficar absolutamente viciados, é acrescentar à lista Batman: Year One, de Frank Miller e David Mazzucchelli (ler artigo Batman – Ano Um: a obra para além da obra).

Mas se queremos ficar deslumbrados com uma obra de arte literária e gráfica que impõe os seus termos a toda a mitologia do personagem, o reconstrói e o lança no futuro para as novas gerações, então é mesmo obrigatório ler Batman: The Dark Knight Returns.

Com o título Batman: O Regresso do Cavaleiro das Trevas, teve a sua edição mais recente publicada em Portugal pela Levoir em 2019 (cf. apresentação e previews do lançamento nacional aqui). E para além de ter definido em 1986 o que o personagem ainda hoje é, revolucionou também a maneira de se contar histórias em quadradinhos.

Use os botões para navegar entre as páginas do artigo.

SEGUINTE »

SOBRE O AUTOR |

Francisco Pedro Lyon de Castro
Francisco Pedro Lyon de CastroColaborador
Amante da literatura em geral, apaixonado pela BD desde a infância, a sua vida adulta passa-a toda rodeado de livros como editor. Outra das suas grandes paixões é o cinema e a sua DVDteca.