De Mário Freitas.

Mário Freitas recorreu a software de inteligência artificial (IA) para ilustrar a sua banda desenhada A Polaroid em Branco. Numa altura em que se discute a validade deste tipo de obras, coloca-se a questão se a utilização desse software é assim tão diferente da utilização do software que o autor utilizou para alterar as imagens geradas pela IA, acrescentar o seu próprio desenho, fazer o layout das páginas (sim, a IA não faz banda desenhada) ou proceder à legendagem. A resposta poderá ser mais complexa do que aquilo que aparenta, mas, no final, competirá à sociedade em geral e a cada um dos leitores em particular.

A presente banda desenhada curta resulta então da experimentação que o autor realizou com a IA, tendo o também editor criado uma nova chancela da Kingpin para este tipo de produtos, Mário Breathes Comics.

Nesta BD, o protagonista encontra uma velha polaroid, na qual usava um antiquado bigode do qual muito se orgulhava. Após ter cedido à pressão de pares e o ter cortado, seguiu-se um período de incerteza e angústia. A Fada do Bigodes surge em seu auxílio, conduzindo-o através de um universo de diferentes bigodes, na demanda de um bigode com o qual se identifique.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse:

Uma decisão tomada a quente revela-se o inesperado gatilho para momentos de verdadeira angústia e incerteza. Será, porém, uma fada de modos bruscos e um peculiar bigode a chave para o enigma da Polaroid em Branco?

A Polaroid em Branco
MÁRIO FREITAS
Editora: Kingpin
Páginas: 16, a cores
Encadernação: capa mole
Dimensões: 16,5 x 23,5 cm
ISBN: 9789898673480
PVP: 4,99€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.