Jonas Fink 1

Jonas Fink 1

jonas fink

Jonas Fink 1: Inimigo do Povo, da autoria de Vittorio Giardino.

Em março, uma das novidades da Arte de Autor é Jonas Fink 1: Inimigo do Povo, da autoria do italiano Vittorio Giardino. Na verdade, este álbum reúne os primeiros dois volumes da trilogia: A Infância e A Adolescência, lançados em livro pela editora belga Casterman, respetivamente, em 1994 e 1997. A Infância foi galardoada, em 1995, com o prémio Alph-Art para o melhor álbum estrangeiro no Festival Internacional de BD de Angoulême. Por seu turno, o terceiro volume da série (que corresponderá ao segundo da Arte de Autor) foi galardoado, em 1999, com o Prémio Harvey na categoria de melhor edição norte-americana de álbum estrangeiro.

Giardino é um autor com obra previamente publicada no nosso país, quer em revista – Jornal da BD, Selecções BD (2.ª série) -, quer em álbum – Little Ego (Meribérica, 1989), Férias Fatais (Meribérica, 2001), Max Fridman 1: Rapsódia Húngara (ASA | Público, 2002) e Eva Miranda (ASA, 2005).

Praga, outono de 1950. Jonas tinha 11 anos quando o seu pai foi preso pela polícia política do regime. Ele e a mãe têm de lidar com a discriminação e a opressão do regime estalinista. Declarado “inimigo do povo”, foi expulso da escola e teve de arranjar trabalho para sobreviver. Os dias despreocupados da infância já não são para ele. Uma denúncia pungente do sistema totalitário do antigo bloco de Leste, vencedor do prémio de melhor álbum no Festival de Angoulême de 1995, bem como o prémio Harvey em San Diego em 1999.

Vittorio Giardino nasceu em 1946. Depois de ter começado a trabalhar como engenheiro, dedicou-se à banda desenhada em 1978 com a sua primeira série, Sam Pezzo, seguida de Max Fridman, publicadas em 18 países. Alguns dos prémios que a série ganhou incluem o Yellow Kid do Festival de Lucca e o St. Michel de Bruxelas. Na revista (À Suivre), criou então a personagem Jonas Fink, que teve um grande sucesso e venceu vários prémios.

Deixa um comentário